quant
Fique ligado

Edição 406

Grupo Coral de S. Martinho anuncia nascimento de Jesus ( C/video)

Publicado

em


O Grupo Coral de S. Martinho de Bougado tem percorrido as ruas da freguesia a cantar as janeiras.

 “Ora venham ver// e abrir a porta// ora venham ver que a noite está fria e queremos entrar.// Ora venham ver o Grupo Coral// desta linda terra que um bom ano vem desejar.”

Foi assim que, pelo segundo ano consecutivo, o Grupo Coral de adultos de S. Martinho de Bougado percorreu as ruas da freguesia para anunciar o nascimento de Jesus, através dos cantares das janeiras.

 

Sendo “muito adepto” de manter as tradições quando “são saudáveis e fazem bem às pessoas”, Bruno Ferreira, padre responsável pelo Grupo Coral, achou que seria “bom” cantar as janeiras para os paroquianos. Além de “continuar a fortalecer os laços da comunhão” existentes entre o grupo, as janeiras têm o seu “fundo cristão, de anúncio e de cantares ao Menino”, fazendo a “comunhão entre as pessoas”, dando “a boa nova do nascimento do Menino Jesus”, anunciando a “vinda dos magos” e os “louvadores da Virgem Maria e da Sagrada Família”.

“Isto é importante porque desde pequenino, desde o tempo da minha juventude e da minha paróquia, já tínhamos esta tradição de ir cantar as janeiras. Isto está-me no sangue, portanto também quero contribuir e participar nisto e impelir os nossos coralistas a também alimentar esta tradição, que é boa e que se deve manter”, asseverou.

Publicidade

O responsável pelo Coro tem “noção” que esta atividade é “desgastante”, pelo facto de cantarem “todos os dias à noite e fazerem deslocações”, mas que é “muito enriquecedor” e “muito agradável”, pois, como têm “a parte técnica”, têm “cantado com vozes e com vários instrumentos”. Sendo algo “sempre saudável”, Bruno Ferreira asseverou que “sempre” que tiverem “essa disponibilidade e se for possível”, vão continuar a “caminhar juntos para o bem da comunidade, para o bem da Igreja e para a felicidade das pessoas”.

Para Luciano Lagoa, pároco de S. Martinho de Bougado, esta é uma forma de “conviver entre os membros do coro”, aproveitando também para “angariar fundos”, que serão “destinados às obras da Igreja Nova”, que são “necessárias fazer sobretudo no interior”. Para isso, contou-se com a “boa vontade e com a boa disposição” do Grupo Coral e também com a “ajuda da Comissão Fabriqueira”, que fez a “prospeção das casas onde se ia cantar”.

Segundo o pároco, a Igreja deve ter “cada vez mais” este tipo de iniciativas, não ficando “só à espera que as pessoas venham à igreja”, mas também os párocos irem “ao encontro das pessoas”, estando em suas casas a “conviver” e a “mostrar que a nossa vida em Igreja é uma vida alegre, feliz, bem-disposta”. “Se nós dizemos que o Natal é a alegria, porque estamos contentes com o nascimento de Jesus, então também temos que demonstrar essa alegria. E as janeiras, tendo muito o aspeto lúdico e de brincadeira, também levam a extravasar a alegria que sentimos pelo nascimento do Senhor”, explicou, mencionando que, com as janeiras, também se pretende transmitir “uma mensagem de paz, confraternização e de amizade”.

O feedback por parte dos paroquianos tem sido “muitíssimo positivo”, com uma receção “muito boa”. “Todas as pessoas têm convivido muito bem. Se calhar são muito poucas as vezes que, durante o ano, estamos com as pessoas nestas circunstâncias. Portanto é tudo muito interessante. Gera-se um convívio e uma harmonia muito interessante, sendo também uma mais-valia para a nossa própria comunidade”, frisou.

Ilda Lopes, António e Alice Cunha, que foram alguns dos muitos paroquianos que receberam em suas casas o cantar das janeiras, aplaudem esta iniciativa da paróquia. Ilda Lopes, que gosta de ouvir os cânticos dos reis, referiu que esta é “uma boa maneira de angariar fundos”, pois também “anima e visitam as pessoas”. Também para António e Alice Cunha foi “uma honra” receber e estar com o Grupo Coral que, apesar de “muitas tristezas”, “dá a conhecer o nascimento de Jesus com alegria e satisfação”. “Isto mostra um dinamismo no coro paroquial e até da igreja de S. Martinho de Bougado. Penso que é um bocado de evangelização vir a paróquia mostrar aos paroquianos que está viva e atenta”, concluiu.

Tal como aconteceu o ano passado, o Grupo Coral presenteou as pessoas que participaram nas eucaristias de sábado e de domingo, com três músicas do seu reportório alusivo às janeiras.

{fcomment}

Publicidade
Continuar a ler...
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 406

Locais emblemáticos do concelho em fotografia (C/Video)

Publicado

em

Por


Onze trofenses participaram num raide promovido pela autarquia e agora têm as suas fotografias em exposição na nova estação da CP.

Já tinha reparado com atenção na lanterna da Capela Nossa Senhora das Dores? Alguma vez parou para contemplar a arquitetura da Azenha da Vigenta e da ponte que junto dela imortalizam outros tempos? Estes locais ou objetos foram esmiuçados por 11 fotógrafos amadores que participaram num raide fotográfico promovido pela autarquia da Trofa, em setembro, no âmbito das Jornadas Europeias do Património. O resultado pode agora ser visto numa exposição montada na nova estação da CP, em S. Martinho de Bougado, até 30 de janeiro.

(mais…)

Continuar a ler...

Edição 406

Rancho Etnográfico promove Encontro de Cantares das Janeiras

Publicado

em

Por

O Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado promoveu a 6ª edição do Encontro de Cantares das Janeiras, perante um auditório cheio.

Os atores de serviço, António Moreira e Maria do Carmo Silva (mais conhecida por Miquinhas), arrancaram gargalhadas da plateia composta do auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado. Nos intervalos das atuações dos quatro grupos que participaram na 6ª edição do encontro de Cantares das Janeiras, os dois animadores contribuíram para que a atividade do Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado fosse um sucesso.

Perante um auditório cheio, o grupo bougadense contou ainda com a colaboração do Rancho Regional S. Salvador de Folgosa (Maia), Grupo Folclórico de Santiago da Cruz (Vila Nova de Famalicão) e Rancho Típico de S. Mamede Infesta (Matosinhos).

(mais…)

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também