quant
Fique ligado

jonati

Edição 741

Esboço da Agricultura em Guidões no antigamente (3.ª crónica)

Publicado

em

III OS LAVORES DA CULTURA DA TERRA

O saber milenar do cultivo da terra era ensinado na pedra do lar, ao som do crepitar das achas de carvalho ou pinheiro pelos anciãos.
Cada quinhão de terra tinha as suas características e por isso merecia sempre um cuidado especial de quando arar ou lavrar, semear, colher, etc.
As fases da Lua eram estudadas e os agricultores respeitavam sempre o dizer dos antepassados em que fase deviam realizar qualquer trabalho. São exemplo os almanaques e outra literatura de cordel que transcrevem fielmente esses saber milenar.
O arar ou lavrar da terra era antecedido do chascar das beiradas, onde o arado ou a charrua não chegava, fazer as beiradas.

(…)

Esta crónica só pode ser lida integralmente na edição impressa do jornal ou através da edição disponível para assinaturas online. Mais informações aqui

Continuar a ler...

Edição 741

Governo e municípios unidos na reabilitação do Rio Ave

Publicado

em

O Rio Ave faz parte dos projetos de reabilitação e valorização fluvial que o Governo vai colocar em marcha, no âmbito do programa Assistência para a Coesão e os Territórios da Europa (REACT-EU).

Ao todo são 30 as intervenções, a desenvolver “até 2023” e que implicarão um investimento de “50 milhões de euros”, anunciou o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, na cerimónia de assinatura de protocolos entre a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e 45 municípios, a 30 de abril, em Coimbra.
Dos 150 quilómetros de linhas de água que serão alvo de intervenção, 40 dizem respeito aos rios Ave e Vizela, envolvendo os municípios da Trofa, Santo Tirso, Vila Nova de Famalicão, Vizela, Guimarães, Fafe e Felgueiras. O projeto prevê um investimento de nove milhões de euros, para a “consolidação e renaturalização de margens do rio, corte e limpeza de vegetação e criação de espaços de inundação preferencial e de trilhos ecológicos”.
“É fundamental os rios serem um espaço de convívio, em que se preserva e que se cria condições para melhorar a qualidade da água, um espaço de união e não de separação”, assinalou o ministro à margem do lançamento da primeira pedra do Parque Silvestre do Verdeal, que vai reabilitar o rio Vizela, em Vila das Aves, concelho de Santo Tirso.
Aos 50 milhões de euros a investir nos próximos três anos em 150 quilómetros de linhas de água e 50 massas de água, acrescem 116 milhões de euros que já foram investidos em 1450 quilómetros de rios e ribeiras, desde 2017.
Matos Fernandes referiu ainda, em Coimbra, que este investimento foi possível devido a uma “vontade política que reconhece a relevância ambiental, económica e social destas intervenções”, através de um “compromisso com o poder local e de alocação dos meios financeiros necessários, de que o REACT-EU é um bom exemplo”.

Continuar a ler...

Edição 741

Julgamento de vereador reagendado para junho

Publicado

em

Depois de adiado, pela segunda vez, em fevereiro deste ano, devido à pandemia, o início do julgamento do Caso Trofense foi reagendado para 7 de junho.
As sessões, que estavam previstas acontecer no Fórum Trofa XXI, no Parque Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, vão agora realizar-se na sala dos Bombeiros Voluntários de Valadares.
Este é já o terceiro local escolhido para acolher o julgamento, depois de, no primeiro adiamento, em outubro de 2020, os advogados se terem queixado da “falta de condições de trabalho”, no auditório municipal de Vila Nova de Gaia.
Recorde-se que o Caso Trofense tem entre os arguidos o vereador da Câmara Municipal da Trofa, Renato Pinto Ribeiro, e resulta de uma investigação do Ministério Público (MP) sobre uma alegada “falta de fiscalização” das “verbas públicas atribuídas pela autarquia para obras de manutenção e requalificação do Complexo Desportivo do Trofense, em Paradela”, acabando o dinheiro, alegadamente, desviado pelo então presidente do clube Paulo Melro, para pagamentos de salários e outras despesas do futebol profissional do Trofense.
No ano de 2014, o Clube Desportivo Trofense viu ser-lhe atribuído um valor global de 135 mil euros de subsídios por parte do município. As verbas em causa estariam destinadas à requalificação dos relvados e apoio na construção de uma sala de estudos no complexo do clube em Paradela.
A Câmara Municipal da Trofa terá pago a totalidade do subsídio previsto no referido contrato-programa, dos quais 60 mil se destinavam a “obras de conservação e manutenção no complexo desportivo de Paradela”. No entanto, de acordo com a acusação do MP, “não foram efetuadas” as obras.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Pode ler também...

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);