Um jogo de futebol de 11 entre seniores e veteranos do lugar da Maganha marcou o início das festas em honra de S. Pedro da Maganha. Na partida, que decorreu ao final da tarde do dia 21 de junho, no Parque de Jogos do Atlético Clube Bougadense, os veteranos venceram por 3-2.

As festas continuam nesta sexta-feira, com atuações, a partir das 21.30 horas, do grupo de dança Star Kids e do artista de música ligeira Vítor Faria. No dia seguinte, pelas 21 horas, a atuação da banda Fama Show, havendo uma interrupção para a primeira edição do Concurso de Marchas Populares, com o desfile a começar no Souto de Bairros até à Maganha, onde cada grupo concorrente se exibirá perante o júri”. Já no domingo, pelas 11 horas, há a missa solene em honra de S. Pedro na Capela de Nossa Senhora do Desterro, em Bairros, e, pelas 18.30 horas, há a atuação do grupo da música popular Sons e Cantares do Ave, terminando com uma salva de foguetes.

O presidente da Associação Recreativa S. Pedro da Maganha, António Castro, denotou que as expectativas para as festas “são boas, desde que o tempo ajude”.

Quanto à criação do Concurso de Marchas Populares, António Castro referiu que como “a festa se estava a aproximar e a associação não tinha marchas para representar como nos outros anos” surgiu “a ideia” de fazer um concurso, tendo aparecido “quase de imediato” a inscrição de um grupo. Na altura da entrevista, o Concurso já contava com “três marchas inscritas”, sendo que cada grupo tem “à volta de 80 componentes”. Dessas três, uma marcha da “freguesia vizinha” tem ideia de “desistir”, mas a decisão “ainda não é certa”. “Se só atuar duas marchas já é muito bom, porque se só a marcha da Maganha já fazia uma boa noite de animação, com duas muito melhor e se tivéssemos mais isso iria arrastar-se pela noite dentro”, declarou.

Além disso, um dos objetivos deste concurso era que as marchas “não se perdessem e que engrandecem a festa, porque o S. Pedro sem as marchas perdia o seu sentido”. Contudo, mesmo “sem a marcha” o programa “é recheado” mas estas são “um bom complemento e o ex-libris das festas”.