Depois de no dia 12 de junho ter sido identificado um enxame de vespas asiáticas em Santiago de Bougado, desta vez foi em S. Mamede do Coronado, mais concretamente numa árvore de uma habitação, situada na Travessa José da Silva Maia.

O proprietário da habitação, Manuel Ferreira, já tinha visto o ninho “há 15 dias”, quando este “estava pequeno” com cerca de “15 centímetros mais ou menos”, tendo “sempre aumentando” ao longo dos dias. Manuel Ferreira pensava que era um ninho normal, tendo só nesta segunda-feira, 23 de junho, se deslocado à Proteção Civil depois de ter “visto no jornal O Notícias da Trofa” que se tratava de um ninho de vespas asiáticas. “Desloquei-me à Proteção Civil e disse ao senhor que tinha um ninho de vespas. Ele foi ao computador e amostrou-me fotografias a perguntar se era o que tinha. Quando confirmei, disse-me para ter cuidado porque eram vespas asiáticas”, contou.

A Proteção Civil informou ainda o proprietário para “não mexer” no ninho e para “ter sempre as janelas e portas fechadas”.

Já na manhã de quarta-feira, a Proteção Civil esteve no local para cortar e desviar o cabo da eletrecidade, para que a grua da corporação dos bombeiros “passasse”. Já à noite, por volta das 21.30 horas, dois elementos dos Bombeiros Voluntários da Trofa deslocaram-se para o local numa auto-escada, onde eram esperados dois elementos da Proteção Civil e o apicultor José Silva, para queimar o ninho de vespas.

Devido aos acessos e ao tamanho da escada, não foi possível chegar ao ninho com segurança, tendo sido necessária a intervenção dos Bombeiros da Póvoa de Varzim. Já no local, os bombeiros elevaram o apicultor até ao ninho de vespas, que estava numa árvore com uma “altura de dez metros”, que queimou-as usando um maçarico.

Em relação ao ninho encontrado em Santiago de Bougado, o apicultor José Silva contou que este “era mais do dobro”, sendo que, “pelo tamanho do ninho, equivalia a mais de bolas de futebol”, contendo “mais de dez mil vespas asiáticas”. “Já deve ter formado alguma enxame, que já deve ter saído, mas não tenho a certeza”, acrescentou, alertando a população para ter “um bocado de cuidado” e ter em atenção a “algum enxame, para não o deixar desenvolver, porque se não vai ser uma praga”.

Caso encontre um ninho de vespas e desconfie que sejam das asiáticas, o apicultor aconselha a “chamar a Proteção Civil” e a “não se meter a lidar com elas, porque são perigosas e atacam”. “Cerca de oito vespas destas poderão matar um homem”, completou.