Encontro dos autarcas independentes na Trofa

 

Magda Machado de Araújo

 

O restaurante Rochedo dos Leitões, no Monte de S. Gens, em Santiago de Bougado, foi o local escolhido pela ANMAI – Associação Nacional dos Movimentos Autárquicos Independentes para a realização da reunião mensal, onde participaram cerca de 20 pessoas, que se realizou na tarde de sábado, 21 de junho.

 

Durante a reunião, a ANMAI fez “um balanço das eleições europeias”, tendo constatado que”, se fizermos as contas e retirar os nulos, brancos e abstenção”, o partido que ganha “não tem se quer dez por cento da população nacional”.

Segundo Pedro Marques, presidente da associação, o objetivo destes encontros é “divulgar a ANMAI”, assim como “conhecer a realidade local”, uma vez que esta “nasceu para dar respostas aos seus movimentos, nomeadamente em termos de candidaturas eleitorais e para ser obviamente algo que conceda e centralize os movimentos de cidadãos independentes”. “A ANMAI vai de encontro às aspirações das populações, descontentes com os movimentos partidários. Viemos à Trofa a convite de Joaquim Azevedo, cabeça de lista do Movimento Independente da Trofa (MIT), candidato à presidência da Câmara nas últimas autárquicas, que fez questão que este encontro se realizasse na Trofa”, confidenciou.

O presidente afirmou que “a sociedade exige uma reforma do sistema político”, sendo “os movimentos independentes uma alternativa”, que “querem os mesmos direitos dos partidos políticos”.

Já Joaquim Azevedo considerou “importante que as reuniões ANMAI sejam descentralizadas e passem em todos os pontos do país, de forma a ficarem a conhecer de perto as necessidades de cada concelho”. Relativamente ao MIT, que “não desapareceu e está a trabalhar, Joaquim Azevedo avançou que “não quer que este seja mais um partido, mas sim a alternativa”. “Queremos uma Trofa em movimento. Infelizmente na visita que fizemos não conseguimos mostrar o metro, nem a variante e, pior ainda, não conseguimos mostrar o projeto dos Paços do Concelho. Não se criou nada em 16 anos de concelho”, apontou.

Também o elemento do MIT, Manuel Azevedo, informou que “visitaram o Parque das Azenhas, que deveria ser o cartaz de visita do concelho da Trofa”, mas “é uma área desagradável e abandonada”.

Os elementos da ANMAI ficaram “deslumbrados” com as vistas de S. Gens, tendo considerado que “se deveria apostar mais neste cartaz turístico”.