A Avenida da Capela de S. Pantaleão foi inaugurada no sábado e marcou o início das festividades em honra do santo. Presidente da Junta pediu ajuda da autarquia para o alargamento da Rua da Igreja, mas Joana Lima preferiu não prometer.

Quando chovia, havia lama, quando estava sol. o pó da terra incomodava. Estes eram os constrangimentos apontados pelos fiéis que todos os anos percorriam a Avenida da Capela de S. Pantaleão para celebrar as festas em honra do santo. No sábado, a primeira fase da obra foi inaugurada e o espaço em terra deu lugar a uma Avenida pavimentada com paralelo e uma passadeira central para os peões.

“Esta é uma das fases da obra, porque, como é uma empreitada um pouco dispendiosa, tínhamos de a fazer por fases e aproveitámos para pavimentar a Avenida. Agora, vamos ver se para o ano conseguimos ter todo o espaço requalificado”, adiantou Carlos Martins, presidente da Junta de Freguesia do Muro, à margem da cerimónia.

Para o autarca “mais vale tarde do que nunca” e, por isso, solicitou o apoio da autarquia para iniciar a obra. Agora falta apenas concluir a pavimentação na zona envolvente à Capela que ainda se encontra em terra. “Penso que para o ano teremos a inauguração da obra completa”, adiantou Carlos Martins, confiante de que a autarquia irá ajudar.

Para além da pavimentação do espaço junto à Capela, Carlos Martins aproveitou, ainda, para solicitar o apoio do executivo camarário na empreitada de alargamento e requalificação da Rua da Igreja, que liga a freguesia do Muro à de S. Mamede do Coronado: “É uma obra bastante cara, mas que agora com o fluxo de trânsito, cada vez mais se torna necessária”. No entanto, o autarca não quer “pedir tudo de uma vez”. “Portanto, a primeira etapa está concluída, uma segunda vai avançar e o alargamento da Rua da Igreja será a terceira, porque é uma obra com uma grande dimensão, mas vamos ver se ainda neste mandato conseguimos concretizá-la”, disse.

O executivo camarário marcou presença na cerimónia e, junto com o executivo da Junta de Freguesia, cortou as fitas, símbolo da inauguração da Avenida, no entanto não quis fazer promessas. Quanto à ajuda para concretizar as restantes obras solicitadas durante a cerimónia de inauguração, Joana Lima foi peremptória: “Eu nunca prometo aquilo que não sei se posso fazer. Fiquei sensível ao que o senhor padre Manuel e o senhor presidente da Junta pediram ao executivo, mas eles sabem das dificuldades que atravessamos. Iremos fazer um projecto e avaliar, mas não há dinheiro. Este executivo está empenhado em fazer o melhor para a população do Muro e das restantes freguesias”.

Esta foi a primeira obra que Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, inaugurou depois de ter sido eleita em Outubro de 2009. “Já estava sensibilizada para a importância desta obra há muito tempo, foi uma obra que surgiu numa conversa informal com o senhor presidente da Junta, quando manifestou a vontade de avançar e a população do Muro precisava deste incentivo”, afirmou.

Para a concretização desta empreitada, a Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, cedeu os paralelos para a construção da Avenida.

 

Festas iniciaram com inauguração da Avenida

As festividades em honra de S. Pantaleão tiveram início com a inauguração da Avenida e nos dias seguintes as pessoas que se dirigiram ao espaço enalteceram a obra. “Esta era uma obra desejada pelos murenses”, frisou Carlos Martins.

Assim, pela Avenida e em direcção à capela, muitos passaram para assistir à Missa vespertina, seguida da actuação da Banda Novo Império. No sábado, junto à Capela, houve ainda uma sessão de fogo de artifício e de jardim.

Já no domingo pelas 9 horas, deu entrada a Banda Musical de S. Pedro da Cova de Gondomar, seguindo-se a Missa solene com sermão na Capela de S. Pantaleão. À tarde o Rancho Folclórico de Santa Marinha de Lousado e o Conjunto Típico Casimiro Pinheiro e Amigos animaram as dezenas de pessoas que se foram aproximando da Capela para assistir à procissão em honra de S. Pantaleão.