GNR desmantelou grupo criminoso que abastecia de cocaína, haxixe e heroína traficantes da região do Vale do Ave e Grande Porto. O cabecilha foi apanhado e está em prisão preventiva.

 

Quase 700 gramas de haxixe, 300 de heroína, 250 de liamba e 80 de cocaína. Este é apenas algum do material apreendido pelo Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento de Santo Tirso, na sexta-feira.

Os militares lançaram uma ofensiva contra um grupo criminoso que abastecia os traficantes da região do Vale do Ave e Grande Porto, a partir do Bairro do Cerco, tendo feito 12 buscas, seis a residências, duas a estabelecimentos e quatro a viaturas.

O presumível cabecilha, Hugo N., de 32 anos, acabou detido em Gondomar, após uma intensa vigilância que antecedeu as buscas. Ainda tentou fugir a pé, mas sem sucesso, tendo visto toda a droga apreendida. Presente, sábado, no Tribunal de Instrução Criminal do Porto, ficou em prisão preventiva. Este não é destino desconhecido do cabecilha, que já tinha cumprido pena de prisão de quatro anos e meio por tráfico.

Os outros três detidos, com idades compreendidas entre os 32 e os 48 anos, são apontados como colaboradores. Um ficou em prisão preventiva, enquanto os restantes foram libertados, mas ficam sujeitos a apresentações periódicas às autoridades.

A operação mobilizou mais de 80 elementos policiais e na longa lista de material apreendido destacam-se ainda mais de 11 mil euros em dinheiro, quatro viaturas (dois deles um BMW e um Mercedes do cabecilha e outro Volkswagen Pólo), cerca de cem telemóveis, ouro no valor aproximado de dez mil euros, três máquinas de fortuna e azar, balanças, moinho, diverso material de corte e de adulteração dos estupefacientes.

Na Rua Nova de S. Crispim, nas Antas, junto a uma confeitaria, a GNR deparou-se com uma porta blindada num prédio, onde residia um dos visados na rusga, e teve de derrubar a parede. O indivíduo tentou atirar a droga da janela para o tecto, mas não conseguiu.

O cerco montado não passou despercebido a dezenas de moradores do bairro, que saíram à rua para ver os elementos do Corpo de Intervenção da PSP, fortemente armados e com cães sensíveis a movimentos bruscos, que cercavam a zona, enquanto os militares do NIC de Santo Tirso revistavam alguns blocos.

Esta operação resultou de uma certidão extraída de um megaprocesso de tráfico na região, actualmente com 37 acusados, 17 deles em prisão preventiva.

A investigação foi coordenada pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Ministério Público do Porto e segundo fonte policial estes detidos fazem parte do grupo desmantelado que abasteceu dois indivíduos, que em Junho, na A4, em Valongo, foram apanhados com heroína suficiente para 1530 doses. Estão em prisão preventiva.