quant
Fique ligado

Edição 756

Na última década, cada trofense pagou 260 euros de juros do Município

Anuário Financeiro coloca Trofa com 7.º maior equilíbrio financeiro em 2020

Publicado

em

A Trofa, 7.º concelho do país com maior equilíbrio financeiro em 2020, pagou, na última década, mais de dez milhões de euros em juros. A melhorar a posição económica desde que recorreu ao PAEL (Programa de Apoio à Economia Local), o concelho ainda está no lote dos que apresentam maior passivo exigível.

A Trofa foi o sétimo concelho do país com maior equilíbrio financeiro, em 2020. Este dado consta do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, editado pela Ordem dos Contabilistas Certificados e da autoria dos professores Maria José Fernandes, que coordena a investigação, Susana Jorge e Pedro Camões, que foi apresentado em conferência de imprensa a 13 de dezembro.
Segundo o documento, que vai já na 17.ª edição, a Trofa apresentou uma execução orçamental de 75,1%, percentagem que, porém, está abaixo dos cinco anos anteriores, nos quais, por exemplo, atingiu uma execução de 85% (2018). O ano passado, apenas os municípios de Estarreja, com 75,1%; Póvoa de Varzim, com 75,2%; Penalva do Castelo, com 75,3%, e Velas, Cinfães e Loulé, com 75,4%, tiveram maior equilíbrio orçamental.
A Trofa surge também no 26.º lugar da tabela dos municípios com maior volume total de despesa paga em juros entre 2010 e 2020. Na década, desembolsou 10 milhões e 62 mil euros nesse compromisso, o que, dividido pelos 38612 habitantes do concelho (censos 2021), equivale a uma despesa por habitante de mais de 260 euros.
Ainda sem dados do último ano (2021), a Trofa gastou, no último mandato, 1,15 milhões de euros em juros, bem abaixo dos montantes dos outros mandatos – 3,3 milhões entre 2010 e 2013 e 5,6 milhões entre 2014 e 2017.
No lote de municípios com maior valor no passivo exigível, a Trofa aparece no lugar 43, com 27 milhões e 389 mil euros, menos 15,4 milhões que o referenciado em 2014.
O município trofense foi, em 2020, o 27.º com maiores resultados económicos líquidos em 2020, com 3,7 milhões de euros de superavit, o mais pequeno desde 2015. Neste capítulo, o concelho apresenta resultados positivos desde 2012.
O Anuário traça também a realidade das empresas municipais. A Trofa surge representada pela Trofáguas que, segundo o estudo, foi a 12.ª entidade municipal com mais fraco resultado económico em 2020, com prejuízo de quase 351 mil euros. Só em 2013 tinha apresentado um resultado pior, com -772 mil euros.

Continuar a ler...

Edição 756

Árvore dos Desejos do Rotary alegrou Natal de 40 crianças

Uma árvore de Natal com 40 desejos esteve exposta no Fórum Trofa XXI, numa ação que tinha como condição necessária o envolvimento da comunidade para apadrinhar os presentes ambicionados.

Publicado

em

Por

O Rotary Club da Trofa concretizou o desejo de 40 crianças da Escolinha de Rugby, nesta quadra natalícia. Uma árvore de Natal com 40 desejos esteve exposta no Fórum Trofa XXI, numa ação que tinha como condição necessária o envolvimento da comunidade para apadrinhar os presentes ambicionados.
No final, foi possível concretizar os desejos de todas as crianças. “O Rotary Club da Trofa agradece a todos os que contribuíram para a Árvore dos Desejos”, referiu a presidente rotária Rosa Manuela Araújo, que apelidou de “muito especial” o momento da entrega dos presentes.
“Muito obrigada a todos quantos ajudaram a proporcionar um Natal mais Feliz a estas crianças.
Foi muito, muito gratificante ver o sorriso de alegria nos seus rostos, quando receberam as suas prendas das mãos do Pai Natal. Bem hajam”, rematou.

Foto: CM Trofa

Continuar a ler...

Edição 756

📹 Junta de Freguesia do Coronado apoia famílias confinadas

“A Junta de Freguesia está disponível para acolher todas as famílias que sintam necessidade de apoio, porque não têm retaguarda familiar nem outra forma de se abastecer, por obrigação do confinamento”, acrescentou o autarca.

Publicado

em

Por

Depois do pedido de ajuda de duas famílias confinadas, a Junta de Freguesia do Coronado disponibilizou-se para ajudar os habitantes que, por motivos de isolamento obrigatório, necessitam de apoio para refeições ou entrega de bens de primeira necessidade.

Pela sua alta taxa de contágio, a variante Ómicron da Covid-19 veio ensombrar, de novo, as famílias, muitas das quais a contas com o isolamento profilático obrigatório. Para minorar os constrangimentos, a Junta de Freguesia do Coronado decidiu acudir os habitantes que necessitem de apoio durante o período em que tiverem de se manter confinados.
“Começamos por apoiar duas famílias, uma com seis elementos e outra com três, que nos abordaram em busca de ajuda para se poderem alimentar e ter acesso aos produtos necessários para o dia a dia. Naturalmente, não podíamos dizer que não”, começou por explicar o presidente da Junta de Freguesia, José Ferreira, na manhã de 30 de dezembro, poucos minutos antes de os funcionários daquela autarquia arrancarem para mais uma viagem até à casa das famílias isoladas.
O apoio está a ser feito em parceria com a delegação da Trofa da Cruz Vermelha e para o solicitar basta um contacto telefónico.
“A Junta de Freguesia está disponível para acolher todas as famílias que sintam necessidade de apoio, porque não têm retaguarda familiar nem outra forma de se abastecer, por obrigação do confinamento”, acrescentou o autarca.


Este apoio de emergência junta-se a outros que a Junta de Freguesia implementa desde o início da pandemia e processo de vacinação, este através da disponibilização de transporte para quem necessitar de se deslocar para ser inoculado.
O apoio aos estabelecimentos de restauração na entrega de refeições durante as restrições impostas pelo Governo foi outra das medidas que a Junta de Freguesia chamou a si, contando com o contributo de vários voluntários.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também