Cinquenta segundos bastaram para o Trofense colocar em delírio os adeptos que assistiram à partida com o até então líder da Liga Vitalis, Leixões, num golo apontado por Dedé e que carimbou a segunda vitória trofense intramuros. A equipa de Matosinhos não apresentou argumentos para inverter o marcador e foi substituído da liderança da Liga Vitalis pelo Rio Ave.

 

Depois de um jejum de pontos que se prolongou por quatro jornadas, o Trofense reencontrou de novo o caminho das vitórias no confronto com o Leixões, que até se confrontar com a formação de Daniel Ramos, matinha-se na liderança do campeonato. O golo solitário de Dedé aos cinquenta trofense.gifsegundos de jogo foi um "balde de água fria" para os forasteiros, que ao contrário do que têm mostrado no campeonato, não conseguiram superiorizar-se nem afrontar a defensiva do Trofense, que por sua vez, apresentou-se sempre disciplinada em termos posicionais. Na sequência de um pontapé livre entre o meio-campo e a área leixonense, o cruzamento de Chico Silva não podia ter servido melhor Dedé, que com um cabeceamento certeiro, assinalou o único golo da partida, para delírio de todos os adeptos da equipa liderada por Daniel Ramos, que estavam em minoria, face à enchente oriunda de Matosinhos, que pintou o estádio trofense de vermelho e branco.

Apesar de estarem mais empenhados defensivamente, os atletas da Trofa também deram trabalho aos leixonenses, que por algumas vezes tiveram que travar as investidas do adversário lançadas pelos flancos.

A abordagem à etapa complementar por parte da equipa de Matosinhos foi similar aos primeiros quarenta e cinco minutos, com a mesma incapacidade de encetar lances objectivos e perigosos para a baliza de Vitor. Com o passar do tempo o nervosismo começou a dominar os jogadores de Vitor Oliveira, que abusavam do futebol directo, bombeando bolas para a área, onde aí quem liderou foi Idalécio, que anulou todas as tentativas aéreas do adversário.

A melhor oportunidade de golo dos forasteiros ocorreu já perto do final, numa boa iniciativa individual de Leandro Tatu, que mesmo assim não conseguiu destronar o guardião trofense.

Satisfeito com o resultado, o técnico Daniel Ramos começou por sublinhar que foi uma "vitória sobre o primeiro classificado", importante e moralizadora: "Em noventa por cento do jogo fomos mais equipa que o adversário e mesmo reconhecendo que o jogo não foi bonito, para quem vem de quatro derrotas este triunfo enche-nos de ânimo".

Considerando o jogo "fraco e de má qualidade", Vitor Oliveira assumiu que não esperava "perder na Trofa", contudo reconheceu que a equipa "nada fez para ganhar" e frisou o peso do golo madrugador "numa altura em que era proibido sofrer golos". Na opinião do técnico "nada foi feito para resolver o jogo", que acaba com uma derrota "penalizadora" e que transparece na "péssima exibição" do Leixões. Resultado: "um passo atrás".

O desaire leixonense foi bem aproveitado pelo Rio Ave que, batendo no Estádio dos Arcos o Santa Clara por 2-0, ascendeu à liderança do campeonato com quarenta pontos. Com o empate a duas bolas sobre o Estoril, o Feirense aproximou-se do terceiro lugar, ocupado pela equipa açoriana. Trofense e Olhanense foram as restantes equipas que subiram na tabela classificativa, face às vitórias sobre Leixões e Olivais e Moscavide, respectivamente.

Para a próxima jornada o emblema da Trofa viaja a Santa Maria da Feira para defrontar o quarto classificado da Liga Vitalis. Na primeira volta na Trofa, o empate a um golo foi o resultado registado entre o confronto destas equipas. Cinco são as dúvidas que Daniel Ramos tem para a possível convocatória: Torres, Reguila, Traoré, Everson e Michel estão a debelar problemas físicos, sendo que o último é o que se apresenta em melhores condições de recuperar.

21ª jornada

Liga Vitalis

Jogo: Estádio do Clube Desportivo Trofense

Trofense: Vitor, Maia, Miguel Ângelo, Idalécio, Chico Silva, Edu, Saavedra, Nelsinho, Vitor Hugo, Dedé e Leandro Netto

Treinador: Daniel Ramos

Leixões: Beto, Alexandre, Nuno Silva, Elvis, Nuno Amaro, Jorge Duarte, Bruno China, Pedro Cervantes, Jorge Gonçalves, Hugo Morais e Roberto

Treinador: Vitor Oliveira

Árbitro: Jorge Sousa, auxiliado por José Ramalho, José Luis Melo e Fernando Mateus.

Cartões Amarelos: Alexandre (26'), Saavedra (29'), Nuno Silva (49'), Vitor (70'), Jorge Duarte (75'), Éder Silva (76'), Chico Silva (77'), Chico (77'), Bruno China (87') e Cícero (88')

Marcadores: Dedé (1')

Resultado ao intervalo: 1-0

Resultado final: 1-0