Vila Nova de Famalicão foi, este fim-de-semana, palco do maior Encontro de Associações Juvenis do Norte de Portugal e da Galiza. Ao todo, cerca de cem colectividades reuniram-se na Casa das Artes para debater alguns dos principais temas que preocupam a juventude na actualidade, trocar experiências e divulgar as suas actividades.

 A iniciativa organizada pela Federação de Associações Juvenis do Distrito de Braga (Fajub) e com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão, do Instituto Português da Juventude, da Xunta da Galicia e do Eixo Atlântico do Nordeste Peninsular superou todas as expectativas em termos de participação e organização.

Uma das principais ideias lançadas durante o evento foi a discussão sobre a criação de um Fórum da Juventude do Eixo Atlântico no Noroeste Peninsular. O desafio lançado pelo director regional do Instituto Português da Juventude, Victor Dias, tem como principal objectivo criar um interlocutor privilegiado para as questões da Juventude junto do Eixo Atlântico. Mas o fim-de-semana foi próspero em iniciativas, logo a começar pela apresentação das actividades dos  movimentos associativos, com a exibição de peças teatrais, curtas-metragens, wokshops e concertos de música. Paralelamente no parque coberto da Casa das Artes decorreu uma mostra onde as associações apresentaram o seu trabalho e a actividade que desenvolvem.

O presidente da Fajub, Alberto Gonçalves, mostrou-se muito satisfeito com o sucesso do Encontro, salientando que os principais objectivos foram concretizados, destacando "a consolidação dos laços de amizade e cooperação entre estas duas regiões fronteiriças". Por sua vez, o presidente da Federação Nacional das Associações Juvenis, Luís Alves, afirmou que "para estar à altura dos grandes desafios temos que trabalhar em rede".

No final do Encontro, o vereador da Juventude da Câmara Municipal de Famalicão, Jorge Paulo Oliveira, era um homem satisfeito com o sucesso da iniciativa. O responsável pela área da juventude referiu que "este encontro constituiu um espaço de reflexão e debate sobre as potencialidades, virtudes e capacidade para ultrapassar as dificuldades das associações". O autarca chamou ainda a atenção para a importância do associativismo juvenil na construção de "uma Europa das euroregiões, que é aquilo que se quer".