Consciente das “necessidades” do refeitório social “Porta dos Sabores”, da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa, Tomé Carvalho, gerente da Falual Metalomecânica SA, lançou um desafio aos cerca de “110 funcionários”: cada um contribuía com uma dádiva para, no final, comprar “uma palete de arroz”.

“Todos concordaram com a ideia” e contribuíram para comprar a palete com “cerca de 700 quilos de arroz”, que foi entregue na sede da empresa, no dia 2 de janeiro. “Como a Cruz Vermelha tem algumas necessidades e como faço parte da direção entendi por bem que os funcionários oferecessem qualquer coisa tendo chegado à ideia de ofertar uma palete de arroz. Este foi um estímulo dado aos funcionários, que ficaram gratificados pela atitude que tiveram”, contou Tomé Carvalho, anunciando que esta dadiva vai ajudar a continuar a servir refeições a “muita gente”.

Além de ajudar uma causa, esta foi uma forma que Tomé Carvalho encontrou para apelar à solidariedade dos funcionários, uma vez que “muita gente não se apercebe das dificuldades que a Trofa tem, a nível de alimentação”.

Cada funcionário contribuiu com o valor que quis e caso a verba angariada não fosse suficiente para pagar a palete, Tomé Carvalho assumiria o restante. “Para o ano vamos ver o que se pode fazer, a rapaziada ficou toda contente”, finalizou.