Com o Jogo dos Sorrisos, a delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa conseguiu angariar 2600 quilos de arroz, que vão colmatar necessidades do refeitório social e apoios de emergência.

Num cenário pouco usual, os adeptos chegavam ao estádio de saco em punho para o trocar por um bilhete. No interior, havia, pelo menos, dois quilos de arroz. Este era o valor do ingresso para a partida entre o Trofense e o Futebol Clube do Porto B, no sábado, 28 de dezembro. Os apoiantes das duas equipas acederam ao pedido da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) e encheram as duas bancadas cobertas, numa noite em que a chuva não ajudou.

O “Jogo dos Sorrisos”, como foi intitulado, também contou com uma presença especial na bancada. A Leopoldina espalhou simpatia pelo estádio, anunciando que o Continente – através da Missão Sorriso – também apoiava a causa solidária.

No final, apesar do empate do Trofense, os responsáveis tinham razões para sorrir, face à recolha de cerca de 2600 quilos de arroz, que resultaram da bilheteira e de doações de empresas.

“Fazemos um balanço muito positivo. Foi um jogo de sorrisos e a Cruz Vermelha está sorridente. O resultado não foi o melhor para o Trofense, mas a iniciativa correu muito bem. A quantidade de arroz angariada está acima das expectativas, não estávamos à espera de tanta adesão devido ao mau tempo”, afirmou Carla Lima, coordenadora da CVP.

Com este resultado vai ser possível acorrer às necessidades, “cada vez maiores”, das famílias trofenses. No refeitório social, estão a ser gastos, mensalmente “uma média de 150 quilos de arroz”, acrescentou, pelo que a recolha “assegura a cantina em 2014 e ainda dá para os apoios de emergência”. Neste âmbito, a Cruz Vermelha sentiu um aumento, para o dobro, “do número de famílias apoiadas em 2013”, relativamente ao ano anterior. “É assustador, mas é a realidade”, frisou.

Paulo Melro, presidente do Trofense, considerou que “foi um momento para todos sorrirem, se pensarem que o efeito daquilo que aconteceu vai reverter para pessoas que precisam de ser apoiadas”. “Nunca será demais ter este esforço e não posso deixar de agradecer a todo o público e adeptos que compareceram hoje no estádio e ajudaram a que a Cruz Vermelha tenha o trabalho mais facilitado”, asseverou,

Por sua vez, Carlos Monteiro, diretor de loja do Continente, afiançou que “foi de bom grado” que o grupo Sonae “participou numa iniciativa como esta”, angariando arroz para famílias e dar-lhes um sorriso durante o ano de 2014”.