Na sessão ordinária de setembro da assembleia de freguesia de Covelas foram debatidos vários pontos de interesse, perante uma plateia de seis covelenses.

No período de antes da ordem do dia, Fernando Moreira, presidente da Junta de Freguesia, informou os membros da assembleia que a escola básica de Querelêdo não se encontrava nas melhores condições. Uma situação que voltou a ser também debatida no último ponto da ordem do dia, com o presidente a enumerar as “bastantes avarias” que têm existido na escola, frisando que o empreiteiro encarregue pela obra “não a devia ter entregue”, porque “devia ter água, chove” e os fechos das portas já estão estragados. O presidente recordou que, no ano passado, quando pediu ao padre José Ramos água para a escola era só para um ano.

Já Domingos Faria (PS) apontou “que a vergonha” desta obra está desde o seu início. “É inadmissível que naquela escola se tenha gastado oitocentos e tal mil euros”, acrescentou. Em jeito de resposta, Fernando Moreira afirmou que o problema estaria nas pessoas encarregues pelas obras, pois “não percebem nada”. 

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

{fcomment}