Nenhuma lista foi apresentada para as eleições dos órgãos sociais do Clube Desportivo Trofense. Convocada nova assembleia para 8 de junho para resolver vazio diretivo.

Exatamente dois anos após a assembleia eleitoral que reconduziu Paulo Melro na direção do Clube Desportivo Trofense, realizou-se mais uma assembleia para eleger os novos órgãos sociais. Só que nenhuma lista foi apresentada e o presidente da assembleia-geral, João Fernandes, declarou oficial o vazio diretivo no clube, na noite de 30 de maio.
Numa assembleia-geral mais concorrida do que o costume, o presidente da direção cessante, Paulo Melro, explicou que, “em conversa com os elementos dos órgãos sociais”, percebeu que “não havia condições, no seu todo, para apresentarem recandidatura” à liderança do emblema mais representativo do concelho. Apesar de não ser novamente candidato, Paulo Melro manifestou o “compromisso” de “tudo fazer” para encontrar “no limite, uma solução intermédia que possa trabalhar por algum tempo” e cumprir os “timings urgentes”. Um deles é preparar a próxima temporada das camadas jovens, anunciou Paulo Melro.
E a “solução intermédia” que o dirigente referiu trata-se de, pelo menos, encontrar um grupo de sócios que se disponham a formar uma comissão administrativa que garanta a gestão do clube nos próximos tempos e garantam o desenvolvimento dos vários processos em curso. Dois deles têm que ver com os processos de recuperação. “Estava a decorrer um recurso à não aceitação do plano de recuperação do clube e não nos foi dada razão, ao contrário do que nós e os nossos advogados pensávamos”, informou Paulo Melro. O passo seguinte é, no âmbito do processo de insolvência, “apresentar um plano de recuperação que terá de ser renegociado com os credores e tentar encontrar uma solução que baixe a taxa de esforço do plano inicial”.
Já o plano de recuperação apresentado pela Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas – responsável por gerir a equipa sénior – também não terá luz verde do tribunal. Paulo Melro afirmou que o processo não será homologado devido ao voto desfavorável da Autoridade Tributária, que é credora. E também neste assunto há um plano alternativo, defendeu Paulo Melro: “O que o advogado nos transmitiu é que é possível ainda voltar a apresentar o plano, respondendo às dúvidas do tribunal”.

Rio Ave quer gerir equipa sénior

Uma vez garantida a manutenção da equipa sénior, foi possível aferir das intenções do Rio Ave para com o clube da Trofa. Paulo Melro já tinha anunciado um “interesse” do emblema vilacondense em firmar parceria e nesta assembleia-geral deu mais pormenores. “O Rio Ave tinha intenção de criar uma equipa B, mas como não conseguirá fazer inscrição este ano, e tendo necessidade de escoar ativos, tanto juniores como seniores já colocados em diferentes equipas, procurou um clube que pudesse servir essas intenções”, começou por explicar.
O Rio Ave quer “gerir o futebol sénior do Trofense”, num processo que “será acompanhado” pelo clube da Trofa. Caberá aos vilacondenses “todas as despesas associadas à gestão”, enquanto a formação do plantel será da responsabilidade da equipa técnica, que “poderá conter um elemento do Trofense, para fazer a ponte para uma eventual integração de atletas do clube para a equipa sénior”.
Já o Trofense “terá de assegurar as portarias, bilheteiras e diretores de campo nos dias dos jogos”, acrescentou. O Rio Ave quer ainda que o protocolo seja “anual”, com possibilidade de renovação, uma vez que lhe dará possibilidade de avaliar a possibilidade de criar a equipa B.
“As receitas próprias do clube ficarão no clube, juntamente com a verba que viermos a fixar da parte do Rio Ave e serão usadas para gerir os planos de recuperação”, informou ainda Paulo Melro, que considerou a parceria “uma ideia boa”. A bola está, neste momento, do lado do Trofense, que deverá pronunciar-se sobre a proposta, só que o clube está sem estrutura diretiva.
Por isso, João Fernandes convocou uma nova assembleia-geral, para o dia 8 de junho, para as 21 horas, no Fórum Trofa XXI, no Parque Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, com a esperança de que haja sócios dispostos a preparar o futuro do clube.

Sugerida criação de nova associação paraacolher camadas jovens

Face aos graves problemas financeiros que o clube atravessa e que o impede de receber subsídios estatais, e preocupado com o futuro das camadas jovens, Manuel Wilson sugeriu a criação de uma nova associação para acolher as equipas de formação que militam nas divisões mais baixas. As equipas que competem em divisões mais elevadas, como campeonato nacional, devem manter-se no CD Trofense. O responsável pelo departamento de formação na direção cessante considera que, assim, se garante a sobrevivência das camadas jovens, uma vez que a nova associação poderá receber subsídios que sustentem o funcionamento do departamento de formação.
Um assunto que também ficou “em lume brando” à espera de que haja desenvolvimentos na próxima assembleia-geral.