O Bispo Auxiliar do Porto, D. Pio Alves, esteve de visita à Paróquia de Santiago de Bougado, entre os dias 21 e 29 de maio.

Um programa “intenso que tentou de alguma maneira contactar com as realidades mais significativas da paróquia”. É desta forma que D. Pio Alves, Bispo Auxiliar do Porto, caracterizou a visita pastoral à Paróquia de Santiago de Bougado, que terminou no domingo, com a celebração do Sacramento do Crisma. Ao longo de oito dias, o Bispo Auxiliar do Porto esteve reunido com os movimentos paroquiais, associações e autarquias, visitando ainda crianças, jovens, adultos e idosos.
“Mais do que uma mensagem nova”, com a sua visita à paróquia de Santiago de Bougado, D. Pio Alves quis verificar que estava perante “uma comunidade paroquial viva e que está intensa”, mas “sempre com o apelo que não nos podemos fechar sobre nós mesmos”. “Temos que procurar estar presentes na sociedade em todos os seus ângulos. A mensagem fundamentalmente é esta de que nós cristãos e comunidade paroquial não nos podemos fechar. Temos que estar abertos e disponíveis para todas as pessoas com quem convivemos”, completou.
O Bispo referiu ainda que “todos os grupos e movimentos que assumem responsabilidades no âmbito da vida paroquial são importantes e complementares”, havendo “em todas as paróquias um trabalho básico, que é fundamental, na transmissão da fé que é o trabalho de catequese”. “É sempre um trabalho que, de alguma maneira, estende aquilo que é a intervenção do pároco naquilo que é o seu dia a dia no âmbito da Igreja e que faz, mediante uma extensa gama de colaboradores, com que a mensagem do Evangelho se mantenha viva e se vá transmitindo”, mencionou.
Quanto à visita pastoral de D. Pio Alves, o pároco de Santiago de Bougado, Bruno Ferreira, fez um balanço “bastante positivo”, considerando que esta foi “muito enriquecedora e com muitos frutos”. “A presença do Bispo na comunidade faz-nos sentir unidos à Igreja universal, ao próprio Papa, ao nosso bispo diocesano e à pessoa de D. Pio Alves, que é um homem sábio, inteligente, simples, professor e celebrante. Ajudou-nos realmente a sentir-nos como comunidade, soube-nos ouvir, exortar e incentivar e teve um conhecimento profundo da nossa realidade paroquial nos seus vários âmbitos e dinamismos”, afirmou, salientando que esta visita foi “um enriquecimento para a pastoral” e que saiu “reforçado na fé, confiante na esperança e crescido na caridade”.
Bruno Ferreira fez ainda um agradecimento “a todos aqueles que colaboraram e proporcionaram para que esta visita pastoral se pudesse realizar”.