Com a nova viatura benzida no domingo, os Bombeiros Voluntários da Trofa viram supridas uma das maiores necessidades da corporação. Agora urge resolver problemas com viaturas de combate a incêndios.

A época de fogos este ano foi “severa” para o concelho e para os Bombeiros Voluntários da Trofa. As últimas previsões apontam para que “cerca de 300 hectares” de mato e floresta tenham ardido, “um número bastante preocupante” na óptica de Filipe Coutinho, segundo comandante da corporação trofense.

No combate aos incêndios, os soldados da paz tiveram que atravessar várias dificuldades e para além de terem que resolver situações em que “no mesmo dia havia três ocorrências diferentes”, também não podiam contar com toda a frota automóvel de que dispõem. “Pela elevada idade e desgaste que algumas viaturas apresentam tivemos muitas avarias. Uma delas esteve a época toda na oficina”, referiu Filipe Coutinho, que não esconde que “a principal preocupação” do corpo de bombeiros é “adquirir uma nova viatura”.

Veja a reportagem completa na edição 290 do NT, já nas bancas.