As obras na Trofa e o atraso na renovação das linhas entre Ermesinde e Campanhã estão a afectar a Linha do Minho. Por isso, até 2013 as viagens rápidas entre as cidades de Braga e do Porto ainda vai ser uma "miragem".

   O Alfa será, até 2013, o único comboio a fazer o percurso entre Braga e Porto em 40 minutos. Isto porque as obras de duplicação da linha do Minho, entre as duas cidades ainda não estão concluídas e assim será impossível a redução do tempo de 47 minutos de viagem dos comboios suburbanos.

A rede ferroviária entre Braga e Porto encontra-se "estrangulada" entre as estações de Ermesinde e de S. Bento, segundo a CP e a REFER, citadas pelo JN. Porque dos projectos sobre as estruturas definidos em 1994 só avançaram no canal da Trofa, com uma derrapagem de um mês e onde as obras só estarão concluídas em Janeiro de 2009.

A Comissão de Utentes da Linha Braga-Porto (CULBP) mostra-se então preocupada e num debate realizado, em Braga, sob a temática "Transporte Público Ferroviário", adiantou o inicio de um estudo sobre os horários dos comboios, com o objectivo de encontrar um sistema integrado de circulações mais rápidas. "Esperamos concluir este estudo em Setembro, o qual será entregue à CP, tentando, desta forma, dar o nosso contributo para a melhoria do transporte ferroviário, principalmente, no troço entre Ermesinde e S. Bento, onde se verifica o efeito de afunilamento de outros circulações provenientes das linhas do Douro e de Guimarães", explicou José Pedro Santos, representante da CULBP, ao JN.

Um representante da REFER, Carlos Reis, admite que, tecnicamente, a redução de tempos de viagem dos comboios entre as cidades de Braga e Porto é possível, no entanto, diz existir, actualmente, uma dificuldade no reajustamento das circulações na Linha do Minho, por "estrangulamento" da rede ferroviária.

Carlos Reis explicou ainda que "neste momento, verificam-se 60 circulações diárias, nos dois sentidos, o que dá uma média de quatro a cinco comboios por hora, o que gera dificuldades de viagens mais rápidas".

 

 

Comissão de Utentes cria Associação Comboios Século XXI

 

A Comissão de Utentes da Linha Braga-Porto, da CP – Comboios de Portugal, vai constituir, durante o mês de Julho, a Associação Comboios Século XXI (ACSXXI).
"A associação não tem fins lucrativos e tem como objectivos defender e melhorar o transporte ferroviário", adiantou António Cândido de Oliveira, membro da Comissão Instaladora, citado pelo Correio do Minho.

Actualmente com 16 sócios, associação pretende realizar conferências e seminários sobre as redes ferroviárias nacionais. "Uma associação destas tem que ter uma perspectiva muito mais ampla. A cidade de Braga tem uma perspectiva nacional e internacional. O transporte ferroviário para Norte, por exemplo, para Vigo e Santiago de Compostela, na Galiza, envergonha-nos", afirmou Cândido de Oliveira.
A primeira acção da nova associação foi uma reunião, que decorreu esta segunda-feira, no Governo Civil de Braga, onde esteve em destaque o estrangulamento da linha na Trofa e a quadriplicação de vias entre Ermesinde e Contumil, na zona do Porto. Nesta reunião participaram ainda os representantes de vários partidos políticos: Carlos Almeida do PCP, João Delgado do Bloco de Esquerda, Ricardo Gonçalves e Isabel Jorge do PS, Jorge Pereira do PSD e Manuel Rocha do CDS.

Quanto à Trofa, foi feito um ponto da situação das obras que estão a decorrer, e que devem estar concluídas em 2009. Para Cândido de Oliveira, esta situação resulta da falta de planeamento. "No caso da Trofa, as obras já deviam estar concluídas em 2004, quando se procedeu à modernização e duplicação da via até Braga. Em relação a Ermesinde – Contumil, ainda não há nada de concreto. Há aqui alguns problemas de falta de planeamento adequado".

Satisfeita com os resultados da primeira reunião a associação prevê a próxima reunião, com os diferentes partidos, para daqui a seis meses.