As duas moções da CDU aprovadas e o início das obras da Capela Mortuária foram os assuntos que marcaram a Assembleia de Freguesia de Guidões.

  Foto ArquivoCondenar a "intenção do governo", exigindo "o respeito pelos compromissos assumidos com a população e assim se realize a obra (do Metro até Trofa) em via dupla" foi um das duas moções aprovadas na Assembleia de Freguesia de Guidões e que reuniu unanimidade de todos os membros. A moção apresentada por Atanagildo Lobo, elemento da CDU, refere a questão da ligação ISMAI/Trofa e sublinha o facto de a população abrangida pela estação do Muro estar a ser prejudicada há mais de seis anos com a falta de transporte ferroviário. Tendo em conta as notícias recentes que apontam para a construção da linha em via simples, se esta decisão do executivo se manter, na opinião de Atanagildo Lobo causará "graves danos para as populações (no caso concreto também a de Guidões), pois, além de não resultarem melhorias a nível da maior frequência do metro também não será melhorado o tempo médio de viagem entre o Muro e o Porto".

A outra moção referia o facto das placas toponímicas de Guidões serem alvo de vandalismo e propunha que "se, em diálogo com os proprietários dos muros contíguos às ruas e após as autorizações concedidas por estes, as placas toponímicas sejam cravadas nesses muros, onde tal se revelar possível, por método semelhante ao da freguesia vizinha, que parece dar melhor resultado". Esta proposta apresenta pelo elemento da CDU também reuniu o consenso da Assembleia, apesar do presidente Bernardino Maia afirmar que o problema já estava a ser resolvido, com o levantamento de todas as placas destruídas para posterior restauração.

No período da ordem do dia, o edil começou por referir o ofício enviado à autarquia da Trofa a solicitar a mudança do piso do parque infantil, junto à igreja, para substituir o de areia, considerado por alguns elementos da assembleia, como perigoso para as crianças. Bernardino Maia desdramatizou o assunto, mas assegurou a resolução da situação assim que possível.

Outros dos assuntos abordados foi a construção da Capela Mortuária, que já está no terreno. O edil informou os elementos que a primeira fase do projecto foi avaliada em cerca de 95 mil euros e inclui as intervenções de pedreiro e trolha e tubagens. A segunda fase englobará os acabamentos da obra. Bernardino Maia esclareceu que a empreitada vai ser financiada com verbas asseguradas pela Câmara Municipal da Trofa e afirmou que espera o apoio dos habitantes da freguesia.

Um problema informático impediu a leitura da acta da assembleia anterior, pelo que a votação ficou adiada para a próxima reunião.