Pavilhão polivalente dos Bombeiros Voluntários da Trofa acolheu a 6ª edição das 24 horas de Slotcar, que contou com a participação de 22 equipas, entre 12 e 14 de julho. A competição, organizada pelo Clube Slotcar da Trofa, está “entre as melhores a nível internacional”.

Desde a primeira edição que a GT Team Art Slotcar de Braga participa nas 24 horas de Slotcar na Trofa, tendo já conquistado um 2º e 3º lugares. Com a 6ª edição, que contava com “três pistas” com perímetro de “50 metros cada”, a situação não foi diferente e a equipa bracarense voltou a estar presente nesta prova, mas desta vez sagrou-se vencedora.

Para Augusto Amorim, um dos responsáveis da GT Team Art Slotcar de Braga, a competição correu “bem”, estando desde o início nos “primeiros cinco lugares”, mas “subindo aos poucos”, a equipa lá conseguiu tomar conta do 1º lugar. A sorte também esteve do lado da equipa bracarense, pois uma outra adversária não esteve imune a “alguns problemas”. Augusto Amorim denotou que a equipa gosta “muito” de marcar presença nesta prova da Trofa, que tem uma “excelente” organização.

Quem também marcou presença foi a Cric Crac Sport (Espanha), conhecida por participar em “grandes eventos internacionais”, que terminou em 5º lugar. Apesar de a prova ter corrido “bem”, Lluis Arias, um dos elementos da equipa, explicou que o “carro é que não esteve à altura”. Quanto a esta competição, o espanhol referiu que “pouco a pouco vai progredindo e superando-se”, antevendo que brevemente estará “entre as melhores internacionais”.

Para Pedro Ortiga, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa, é “um motivo de orgulho” acolher “uma prova internacional, que congrega um conjunto de atletas de referência a nível nacional”.

O presidente da coletividade, João Pedro Costa, estava satisfeito com mais uma edição, que “correu muito bem”, com a presença de “22 equipas”, o que é um “número aceitável em termos do panorama internacional” da modalidade. João Pedro Costa salientou que esta é uma prova “afirmada a nível internacional, pela própria construção que tem sido dada em termos de sustentabilidade”, sendo que com “estas características é a única em Portugal”. “Na Europa, a prova de slotcar da Trofa é muito bem vista e isso comprova-se com a presença da Cric Crac, que vem de Barcelona, e só marca presença em grandes eventos internacionais. Neste momento, ao falar de slotcar a nível europeu é fácil encontrar o Clube Slotcar da Trofa associado”, asseverou.

Já para Rúben Almeida, um dos organizadores e participantes na prova, este foi um fim de semana “duro”, que começou na “semana anterior” com as montagens, ao qual se juntou o “calor intenso que dificultou o trabalho”. O cansaço “extremo” refletiu-se na prova, com a equipa da Trofa a ficar-se pelo 3º lugar. Contudo, Rúben Almeida estava “supercontente” por ter alcançado o pódio.

Apesar de “não querer ouvir falar em slot durante cinco meses”, devido ao “muito trabalho” que dá, Rúben Almeida comprometeu-se a avançar para outra edição em dezembro ou janeiro, satisfazendo os pedidos dos participantes, que só questionavam “quando é a próxima”.

Pela Europa as provas desta modalidade estão num decrescendo, o que não acontece com esta competição. Para o atleta, o segredo para que continue em crescendo é “fazer bem” e “querer fazer cada vez melhor”, “dando mais benefícios e tendo as melhores condições a todos os níveis”.

 

Clube prepara lançamento de nova modalidade

Veículos Antigos e Clássicos será a nova modalidade do Clube Slotcar da Trofa. Com a abertura da quarta modalidade, a coletividade procura ser “aglutinadora de mais um polo preferencialmente entre os mais jovens”, levando a cabo “outras iniciativas que possam atingir outro tipo de público”.

Desta forma, o clube vai passar a ser um local onde os aficionados por estes veículos possam “defender e mostrar as réplicas reais que têm”. O presidente do Clube espera que com o lançamento de uma nova modalidade, que deve acontecer “entre julho e agosto”, traga “mais e outro tipo de associados” e seja “transversal a todas as idades”.