Paulo Melro foi eleito presidente do CD Trofense, da II Liga de futebol, após a sua lista única ter obtido 116 votos favoráveis, num total de 136, na assembleia-geral extraordinária realizada esta sexta-feira.

 A lista única liderada pelo ex-diretor financeiro do clube nas direções de Rui Silva – presidente de 2006 a 2011, incluindo a única em que o emblema trofense militou no principal escalão do futebol português -, foi eleita para dirigir o clube no biénio 2012/14. 

Paulo Melro reuniu o consenso da maioria, que, por voto secreto, elegeu uma lista que conta com vários nomes de anteriores direções, estreias e associados ligados a várias empresas da Trofa. Foram 116 os sócios que deram o seu ”sim” a Paulo Melro, contra 19 votos brancos e um nulo. 

”Recebi um voto de confiança dos sócios. O projeto que temos para apresentar passa por estabilizar o Plano Especial de Revitalização (PER). Vamos adaptar a nossa ideia ao que foi feito até aqui pela Comissão Administrativa cessante [estrutura que era liderada por José Leitão]”, disse Paulo Melro após a assembleia. 

Paulo Melro adiantou que vai “chamar os credores” e que já tem o “apoio declarado do principal credor do clube, o ex-presidente Rui Silva”, acrescentando: “Vamos garantir a estabilidade financeira do Trofense e a estabilidade desportiva do clube”. 

A assembleia-geral tinha também em agenda a apreciação do orçamento para a época 2012/13, documento apresentado pela Comissão Administrativa que deixou funções. 

Cerca de 680.000 euros – ”o orçamento mais magro e mais rigoroso de sempre” – era com quanto a equipa de José Leitão contava poder contar o objetivo de ”garantir a manutenção do Trofense na II Liga”. 

Este ponto acabou, no entanto, por ser retirado em virtude das ”novas circunstâncias”, o ato eletivo. 

Paulo Melro disse que o seu orçamento será ”semelhante” ao apresentado por José Leitão, variando entre os 600 e os 700.000 euros, e garantiu já ter 500 a 600.000 euros ”prometidos”, dado o ”apoio declarado por parte das forças vivas da cidade” que reuniu antes de se candidatar. 

Sobre o passivo e valores da dívida do clube, considerou ser ”prematuro” falar, com o argumento de que, num período em que está a decorrer o PER, deve-se ”aguardar pelas conclusões do Tribunal”. 

No dia em que o 13.º classificado da II Liga completou 82 anos de vida, e num clima de aproximação entre anteriores e novas direções, José Leitão, presidente durante 11 anos, de 1996 a 2006, e líder de sucessivas comissões administrativas, desde a época 2011/12 até ao presente, anunciou a sua retirada. 

”A melhor prenda que o Trofense poderia ter neste 82.º aniversário é ter uma direção com membros para todos os órgãos”, referiu. 

Para a presidência da mesa da assembleia-geral e do conselho fiscal foram eleitos, respetivamente, João Fernandes, atual presidente da Assembleia Municipal da Trofa, e Jorge Curval, ex-presidente de assembleias em direções anteriores.

C/lusa
{fcomment}