Vítor Almeida nem quis acreditar quando abriu a carta da EDP. A empresa reclamava o pagamento de mais de 13.500 euros por um mês de consumo de eletricidade.

Quando recebeu a carta da EDP (Energias de Portugal) com a fatura do consumo de eletricidade, Vítor Almeida, proprietário do restaurante “Rei da Picanha”, em S. Mamede do Coronado, esperava que estivesse dentro da base de faturação a que estava habituado a pagar: entre os 500 e os 800 euros. Abriu a missiva um dia depois do Natal e sentiu ter recebido um presente “envenenado”: a fatura referente ao período de 7 de novembro a 5 de dezembro reclamava o pagamento de 13.547,33 euros.

De imediato pensou que só podia haver algum erro, ligou para a EDP e daí disseram-lhe que “tinha que pagar e só depois reclamar”. “Sugeriram ainda que podia pagar às prestações, se preferisse”, afirmou.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

{fcomment}