Uma mulher de 75 anos de idade, residente na freguesia do Muro, concelho da Trofa foi esta manhã atropelada por um camião. Maria Assunção, residente na Rua José Moura Coutinho terá sido colhida pelo veículo pesado quando terá tentado atravessar a Estrada Nacional 14, não se apercebendo que o veiculo tinha já iniciado a sua marcha. Foi transportada pelos Bombeiros Voluntários da Trofa ao Centro Hospitalar do Médio Ave (Vila Nova de Famalicão).

 

O alerta soou no Quartel dos Bombeiros Voluntários da Trofa, às 9.34 horas da manhã desta segunda-feira. Maria Assunção, de 75 anos de idade terá alegadamente tentado atravessar a EN14 para se dirigir ao supermercado. A mulher, não se terá atropelamento-muro.jpgapercebido  que o camião de uma empresa de transportes iniciou a sua margem e terão sido os gritos de populares e da própria mulher que alertaram o camionista que, de imediato parou.

A mulher ficou presa debaixo do camião tendo sido prontamente assistida pela equipa dos Bombeiros Voluntários da Trofa que foi deslocada para o local. Foi ainda solicitada a intervenção de uma Viatura de Emergência Médica do INEM do Hospital de S.João do Porto para prestar os primeiros socorros no local.

A idosa foi depois transportada ao Centro Hospitalar do Médio Ave (Pólo de Famalicão) para ser assistida.

Os Bombeiros Voluntários da Trofa fizeram deslocar para o local uma ambulância e um veículo de desencarceramento com 6 elementos, segundo informações disponibilizadas pelo Comandante (em exercicio) da corporação, João Pedro Goulart.

O trânsito esteve condicionado na EN14 durante algum tempo na sequência deste acidente e devido ainda a um outro provocado, alegadamente pelas obras de saneamento que estão a decorrer naquele troço. Cerca das 8.30 horas da manhã, Zulmiro Rocha, circulava no sentido Trofa/Porto e terá caído com a sua viatura numa vala, com cerca de 15 cm de profundidade, que se acidente-muro.jpgencontrava aberta na estrada nacional, cerca de 500 metros depois do local onde se deu o atropelamento.

Apesar de estar aberta, a vala não tinha qualquer tipo de sinalização e não decorria qualquer intervenção na mesma, conforme avançou ao NT, o sinistrado.

Zulmiro Rocha garantiu que "a vala tinha 15 cm de profundidade e no momento do acidente não estava nenhum trabalhador da empresa a executar trabalhos naquele local. Mas dez minutos depois, aparecerem aqui estes senhores e começaram a tapar os buracos todos para tentar livrar-se de responsabilidades", acusou o automobilista. O homem foi mais longe e atribuiu a causa do atropelamento que ocorreu um pouco mais atrás "ao mau estado da via, que originou a fila e que terá causado o acidente".

A GNR da Trofa registou a ocorrência e o automobilista garante que vai responsabilizar a Empresa Municipal Trofáguas.