“A felicidade é a aceitação corajosa da vida”. Esta é uma afirmação de Erich Fromm, que bem retrata a palestra “Felicidade é estar bem ou ter razão?”, que decorreu na Escola Básica 2/3 de Alvarelhos, no dia 31 de maio.

“Nascemos para sermos felizes”. E quando falamos de felicidade devemos saber que, segundo Moreira da Silva, 50 por cento dela é inata, 10 por cento depende das circunstâncias da vida e 40 por cento depende de nós e da forma como encaramos a vida.
“Felicidade é estar bem ou ter razão?” foi o mote para uma conversa entre o orador e os cerca de 50 alunos do 5.º ano. Para Moreira da Silva é, “claramente, estar bem”, porque “quando estamos a teimar ter razão estamos a desfazer esses momentos de felicidade”. Mas desenganem-se os que acreditam no ‘felizes para sempre’, porque “ não há felicidade permanente e eterna”.
“Passarmos mais tempo com as pessoas de quem gostamos, agradecermos aquilo que temos, sermos otimistas, saborearmos os prazeres da vida, vivermos o presente e sermos bondosos” é o caminho que temos que seguir se queremos sorrir. Com este encontro, o orador quis “abrir uma porta a estes jovens e dizer-lhes que toda a gente consegue, desde que haja vontade”. “A minha intenção de estar com eles esta manhã foi claramente abrir-lhes portões” e “cada um percorre o caminho da felicidade ao seu próprio ritmo”. Na sessão, Moreira da Silva apresentou ainda o seu mais recente livro “Vale a pena viver feliz. E viver a vida. Intensamente!”, que “não é um livro de autoajuda” nem apresenta a fórmula da felicidade, porque a felicidade é “um conjunto de momentos felizes e cada um percorre o seu próprio caminho, não pode ser chapa 25 nem de regras”. “Este livro é para ajudar as pessoas a construirem o seu próprio caminho”, acrescentou. Para o autor, este “é um livro que vai abrir em sitio qualquer e está cheio de positividade, e vai-nos ajudar a deixarmos de estar tão em baixo”. Um livro inspirado na sua própria vida, cujas receitas revertem a favor da associação Muro de Abrigo. Moreira da Silva achou que “devia dar uma prenda à Muro de Abrigo”, que “adquiriu uma carrinha, que custou vinte e tal mil euros e para uma IPSS os tostões e os centavos são importantíssimos”.
Mónica Loureiro, coordenadora da biblioteca, explicou que procura-se sempre levar “ à escola pessoas que possam contribuir para a motivação dos alunos, para que percebam o quanto é importante investirem em si próprios, para que garantam um futuro melhor”. Assim surgiu a ideia de convidarem José Maria Moreira da Silva, para falar de “um tema importante para os alunos”.
“Acreditamos que ficam sempre sementes que os fazem entender que as atitudes fazem a diferença, que a positividade, de facto, altera a forma de eles encararem as coisas”, concluiu a coordenadora.
Durante a manhã do dia 31 de maio, na escola de Alvarelhos abriram-se as portas à felicidade.