Decorria o ano de 1920 e surgia a necessidade de concretizar obras no Santuário de Santa Eufémia para melhorar o aspeto e também as condições para os romeiros na zona envolvente da ermida como também do caminho até à mesma.

Várias atividades iam acontecendo para conseguir financiar essas mesmas obras, para concretizar com sucesso essa missão, certamente que tinha havido várias atividades num passado recente e iriam haver ainda mais num futuro a curto prazo, sendo exemplo a que irá ser relatada nos próximos parágrafos.

No dia 13 de junho de 1920 iria se realizar um sorteio que tinha sido organizado por José António Martins que era chefe fiscal das contribuições e imposto, não surgindo mais elementos sobre esta figura e iria consistir num sorteio de dois objetos em ouro, sendo eles: um relógio de senhora e também um alfinete para gravata.

O proveito dessas vendas foi confirmado que seria para ajudar as obras que estavam a decorrer naquela fase da história do santuário e iria também se realizar um pequeno arraial com a presença da Banda de Música de Paços de Ferreira.

Naquele espaço temporal era comum, nas festas que iam acontecendo no futuro concelho da Trofa estar presente a Banda de Música de Paços de Ferreira, sendo presença quase assídua, desconhecendo as razões para esse facto, se havia uma proximidade com a Trofa ou era apenas obra do acaso.

Uma festa simples e singela, com atuação também de grupo de Zés Pereiras que iriam atuar em redor do santuário, queima de foguetes, missa, com um pormenor que no final de todos aqueles eventos iria haver também uma corrida de sacos, algo que é quase uma memória bem longínqua no presente para os membros das gerações mais novas.

As obras iam decorrendo com maior ou menor facilidade, dependendo obviamente da receita das atividades que eram realizadas como também outros donativos que iam surgindo, faltando construir dois lanços de escadas e possivelmente ainda poderia ser ampliado os outros lanços.

O evento foi um sucesso, os bilhetes foram sorteados e conseguiram reunir um lucro praticamente de 600$ que era fundamental para concluir as obras que estavam a ocorrer no santuário.

José Pedro Reis