Exposição sobre a “Memória da Casa da Cultura da Trofa” está patente até ao dia 31 de julho.

 O percurso do edifício da Casa da Cultura da Trofa, desde a sua construção na cidade do Porto até à atualidade, os vários episódios vividos pela família de Manuel Ferreira da Silva, que habitou a Casa, e as memórias guardadas no edifício municipal. Estes são os ingredientes da exposição “Memória da Casa da Cultura da Trofa” inaugurada no sábado, 8 de junho, e que está patente na sala de exposições da Casa da Cultura durante os meses de junho e julho.

Esta exposição baseia-se em “fontes documentais e testemunhos da família que viveu no edifício”, onde funciona na atualidade a Casa da Cultura da Trofa, bem como de uma “investigação conduzida pelos técnicos da Câmara Municipal da Trofa, nos últimos meses”.

Na inauguração, onde além de estarem presentes várias entidades locais estiveram familiares dos antigos proprietários da Casa, Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, referiu que “esta viagem pela memória da Casa da Cultura da Trofa, assinala no concelho, o Dia Internacional dos Arquivos, festejado a 9 de junho, chamando a atenção para a importância dos arquivos e dos repositórios de memórias para a reedificação do passado e a compreensão do presente e, principalmente, para a preservação da nossa história e da nossa identidade coletiva”.

A “exposição histórica” pode ser visitada até 31 de julho, de segunda-feira a sábado, das 10 às 18 horas.