O Carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas no mundo. Em Portugal tem a sua origem no entrudo, onde, no passado, as pessoas lançavam água, ovos e farinha umas nas outras. O entrudo acontecia num período anterior à Quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade.
O Carnaval aproxima-se a passos largos, por isso, é altura de recordar que esta época pode ser perigosa, sobretudo para os mais pequenos. Nem sempre é cumprida a legislação que existe para a venda das chamadas “bombinhas de Carnaval” e todos os anos há o registo de acidentes que envolvem sobretudo crianças e jovens.
Estas bombas estão na causa dos acidentes que ocorrem com maior frequência nesta época festiva, originando lesões de maior gravidade. A explosão de uma “bomba de Carnaval” pode provocar ferimentos, fraturas e queimaduras de dedos ou de toda a mão.
Outros produtos, tais como bombas de mau cheiro, pós de comichão ou para espirrar, podem provocar alergias e irritações em pessoas sensíveis, especialmente nas crianças, devido à sua composição.
O perigo não está só na utilização das “bombinhas”, porque existem outros brinquedos perigosos que são utilizados no Carnaval. A DECO voltou a encontrar nas lojas produtos perigosos comercializados para crianças, confirmando que os fabricantes e lojistas continuam a não ser exigentes com a qualidade dos artigos que disponibilizam aos consumidores.
É importante que os pais tenham muito cuidado nos artigos que selecionam para os mais novos festejarem o Carnaval, de forma divertida e mais segura…
Enfermeiras Elsa Silva e Sandra Costa
ACeS Grande Porto I  – Santo Tirso/Trofa