A partir de terça-feira, quatro cicloturistas partem de Vila Nova de Famalicão em direcção ao Vaticano para, ao fim de percorrerem cerca de 2.500 quilómetros, serem recebidos pelo Papa Bento XVI e convidá-lo a visitar Portugal.

Segundo o responsável pela organização da aventura, a viagem deverá ter uma duração de 14 dias, esperando chegar à Praça de S. Pedro no próximo dia 2 de Maio. A partida, essa está marcada para a tarde de terça-feira, junto dos Paços do Concelho de Vila Nova de Famalicão.

Mesmo que, à primeira vista, a iniciativa possa parecer uma crítica à indisponibilidade de Bento XVI em vir este ano a Portugal, o padre José Carlos Veloso salienta que a motivação da viagem pretende antes ser «um desafio» não só para os elementos que integram a viagem, mas para o próprio Sumo Pontífice. «Pretendemos demonstrar que se quisermos podemos ir a Roma de  bicicleta em duas semanas e que, se o Papa quiser, pode vir a Portugal em apenas duas horas de avião», justificou o sacerdote.

O padre José Carlos Veloso lembra «o carinho e devoção» que o saudoso Papa João Paulo II demonstrou por Portugal e por Fátima em particular. «Isso despertou em nós, portugueses, uma ansiedade de podermos contar com a presença física do chefe da Igreja Católica no nosso país», salientou o sacerdote, acrescentando que é essa mesma ansiedade que espera poder demonstrar a Bento XVI.

Tal como está programado no roteiro da viagem, os quatro cicloturistas deverão ser recebidos pelo Papa em audiência pública. Depois de encetados diversos contactos com o Vaticano, os aventureiros conseguiram garantias que ocuparão um lugar na mesma audiência que lhes permitirá conversar directamente com Bento XVI. Será nessa altura que os "suados" portugueses procurarão sensibilizar o Sumo Pontífice a visitar Portugal quanto antes.

Para realizarem esta aventura, os cicloturistas tiveram já de fazer uma "corrida" para conseguirem reunir os apoios financeiros necessários. É que a "brincadeira" vai custar cerca de 10 mil euros, uma verba já arrecadada junto de vários patrocinadores, um dos quais a Câmara de Vila Nova de Famalicão, que contribuiu com mil euros.

A apoiar os quatro cicloturistas, seguem viagem mais duas pessoas em outras tantas viaturas. Um dos apoiantes é fisioterapeuta que se responsabilizará da manutenção física e massagens dos aventureiros. Para além disso, fará o registo fotográfico da aventura.

O outro elemento de apoio – que conduzirá uma auto-caravana – prestará o apoio logístico restante. A auto-caravana, com capacidade para seis pessoas, será o local onde vão pernoitar ao final de cada jornada de cerca de 180 a 200 quilómetros percorridos em cima das bicicletas.

«Este é o maior desafio que alguma vez enfrentamos», indicou o padre José Carlos Veloso, acrescentando que todos têm experiência de peregrinações em bicicleta a Santiago de Compostela e alguns ao santuário de Lourdes.

«O que vamos enfrentar é só comparável com uma volta a Portugal ou a França em bicicleta», frisou o sacerdote. Para além do objectivo central, a viagem pretende divulgar a prática do cicloturismo como instrumento de desenvolvimento do espírito de grupo e do próprio desporto.

Antes da partida, na próxima terça-feira, será anunciado o endereço de um "blog" na Internet onde será registado o diário da aventura. «Serão disponibilizadas fotografias e alguns vídeos que permitirão a todos poderem acompanhar- nos e receber mensagens de apoio», indicou o padre José Carlos Veloso.