Festa em honra do Divino Espírito Santo decorreu no Parque Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, nos dias 14 e 15 de maio.

Cinquenta dias após a Páscoa, os cristãos celebram a vinda do Espírito Santo sobre Maria e os apóstolos. Esta é uma tradição que ainda se mantem nos dias de hoje e na paróquia de S. Martinho de Bougado é assinalada na Capela de Nossa Senhora das Dores. A festa do Divino Espírito Santo é da responsabilidade da Comissão de Festas em honra do Divino Espírito Santo e Nossa Senhora das Dores, este ano a cargo da aldeia de Abelheira.
A festa começou no sábado com o anúncio da festa pelo Grupo de Bombos Juventude em Força de S. Mamede e pela iluminação da Capela de Nossa Senhora das Dores em tons de azul e amarelo. Na manhã de domingo, dia do Espírito Santo, houve a eucaristia seguida da Coroação da Imagem do Espírito Santo. A família dá nove voltas à Capela e, em cada três, é coroada com a Imagem. Neste dia há ainda a tradição da feira da cereja, à qual se juntam stands de doçaria e artesanato. À tarde, pelas 16.30 horas, a Capela foi pequena para acolher os muitos fiéis que assistiram à missa solene em honra do Espírito Santo, que foi presidida por D. Pio Alves, Bispo Auxiliar do Porto.
O presidente da Comissão de Festas, José Viana, afirmou que a festa decorreu de “uma forma muito singular”, contando ainda com o Encontro Nacional de Bandas Filarmónicas, que assinalou o 65.º aniversário da Banda de Música da Trofa. Um aniversário que, na sua opinião, é “importante quer para a Banda, como para a Trofa”, e que “conjuga com o aniversário da construção da Capela de Nossa Senhora das Dores”.
Relativamente à celebração da Eucaristia à tarde, José Viana mencionou que foi “um acontecimento especial”, mas que “pode vir a ser repetido”, uma vez que, “neste horário, as famílias estão mais dispostas a marcarem presença na missa solene, que é sempre um momento alto da festividade”.
A festa do Divino Espírito Santo foi a altura escolhida para a abertura do bar da Comissão de Festas, que, a partir de agora, vai estar aberto às sextas-feiras (entre as 20 e as 24 horas), sábados (entre as 13 e 24 horas) e aos domingos (entre as 13 e 23 horas). No bar podem encontrar “todo o tipo de sandes, salgadinhos e bebidas diversas”, como também aquelas “mais direcionadas à juventude”. “Contamos com a presença em massa de todos os trofenses, para que, com a exploração do bar, possamos também angariar fundos que são muito importantes para fazermos face às despesas da festa”, convidou.

Peditórios começam em junho
No início do mês de junho, a Comissão de Festas em honra do Espirito Santo e de Nossa Senhora das Dores vai começar com os peditórios de porta a porta. Como é habitual, será entregue o programa da festa em honra de Nossa Senhora das Dores.
José Viana apela à “colaboração de todos”.