CDU propôs moção contra o PIDDAC

 

 

 

 

 

A Assembleia Municipal da Trofa reunida a 27 de Dezembro de 2006, aprovou por unanimidade uma moção, proposta pelo Grupo Municipal da Coligação Democrática Unitária, CDU, atraves da qual mostram a sua reprovação pelo valor inscrito e aprovado no PIDDAC para o concelho da Trofa.

A moção vai ainda mais longe ao “reprovar a atitude dos Grupos Parlamentares que chumbaram as propostas apresentadas pelo Grupo Parlamentar do PCP que tinham reunido o consenso da CDU, do PS, do PSD e do CDS na Assembleia Municipal da Trofa.

Paulo Queirós, que na ultima Assembleia substituiu Jaime Toga, foi quem levou a proposta à votação e conseguiu, o que raramente acontece, a aprovação de uma proposta por unanimidade.

A proposta inicial do Governo foi, condenada por todos os partidos representados nesta Assembleia e obras como a Esquadra da PSP, Escola EB2/3 de Santiago de Bougado, variantes à EN14 e EN104, variante à linha Ferroviária do Minho na cidade da Trofa, reforço da rede pré-escolar no concelho, nova ponte rodoviária sobre o rio Ave entre S. Martinho de Bougado e Lousado, conclusão da linha do Metro até à Trofa foram exigidas pelos membros da Assembleia Municipal da Trofa.

A Plataforma Logística, a habitação a custos controlados, o mau estado da EN318 em S. Romão do Coronado são apenas algumas das situações levadas à discussão pelos eleitos dos vários partidos, questionando directamente o presidente da Camara Bernardino Vasconcelos sobre estas e outras matérias. Ainda antes da resposta do edil, Tiago Vasconcelos saiu em defesa da autarquia e elencou as obras e os projectos que a Camara Municipal esta a desenvolver salientando “ as piscinas Municipais, as obras de Saneamento, considerando injustas as criticas de quem insiste em dizer que na Trofa não se faz nada”.

António Azevedo presidente da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado solicitou ao presidente da camara, a quem apelidou, em tom de brincadeira de Pai Natal, para que em 2007 resolva alguns problemas gravíssimos e urgentes que há muito assolam Santiago de Bougado. “O escoamento das águas na Rua Aldeias de Cima, da Rua Avelino Padrão, junto à Ponte, que devido ao acumular de lixos estrangula as aguas e tem provocado inundações nas habitações ali construídas”. António Azevedo chamou ainda á atenção do edil para o acumular das aguas pluviais no lugar das Pateiras e também na Samogueira, onde apenas se pode transitar de barco”. Referindo-se ainda à ponte na Rua Avelino Padrão, António Azevedo considerou-a estreita e desajustada relembrando que “foi escorada para aguentar com o trafego durante as obras da Ponte da Vigenta e que está estrangulada, acumulando lixo e obrigando a água do Rio Trofa a galgar as margens.

O autarca foi mais longe e pediu ainda à camara que resolvesse de uma vez por todas a poluição do Ribeiro da Samogueira, transformado em esgoto não só de aguas residuais domesticas mas também de algumas unidades industriais.

O saneamento básico nas aldeias de Cidai, Lantemil, Bairros e Maganha foram outra das exigências do presidente de Santiago que quer saber a data de inicio da obra “pois todos os habitantes desta freguesia e que eu represento têm direito a usufruir desta infraestrutura básica”, ressalvou.

Quanto ao Plano Plurianual de Investimentos foi aprovado com os votos contra da CDU e do Partido Socialista e apenas com os votos favoráveis do PSD.

Já com a hora avançada, muitos dos trofenses que assistiam à Assembleia foram abandonando o Salão dos Bombeiros, não podendo assim participar no período de intervenção reservado ao publico pois, no dia seguinte era dia de trabalho para muitos.

A Assembleia terminou eram quase duas da madrugada.