A Associação Recreativa de Paradela deslocou-se no passado domingo ao Parque de jogos do Sporting da Cruz, para disputar a terceira jornada do campeonato da 2ª divisão Distrital da Associação de Futebol do Porto, série 1.

Depois da derrota na jornada anterior, a equipa técnica, directores e atletas só tinham um objectivo em mente: “conquistar os três pontos para apagar um pouco a imagem deixada perante os seus sócios e simpatizantes que saíram defraudados com a derrota na sua própria casa”, afirmou Leonardo Costa, treinador-adjunto da equipa, em análise à partida.

O jogo começou com uma disputa “acima da média”, pouco habitual nesta altura do ano. As duas equipas entraram em campo com a condição de conquistar a vitória. O Paradela entrou melhor no jogo e com muita vontade de vencer a partida e teve oportunidades de inaugurar o marcador logo no inicio do jogo.

O golo que inaugurou o marcador acabou por acontecer na conversão de uma grande penalidade por falta cometida ao avançado Vítor. Pedro Silva converteu, aos 60 minutos e colocou o Paradela em vantagem.

O técnico do Paradela, que teve a oportunidade de estudar o adversário num jogo de apresentação, alertou que os mesmos tinham um bom conjunto, com jogadores muito influentes na equipa, prevendo assim que o jogo iria ser difícil. Não baixando os braços e com uma ajuda do S. Pedro, que amaciou o terreno com alguma chuva, o Paradela dispôs de uma grande oportunidade ao mandar a bola ao travessão da baliza adversária. O jogo foi para o intervalo e o técnico João Cruz alertou que o adversário iria fazer grande pressão, pois além de ter a massa associativa em maioria a dar-lhes apoio o terreno de pequenas dimensões iria favorecer a equipa da casa. Quando tudo fazia prever que os três pontos vinham para a Trofa, aos 88 minutos, num lance muito “esquisito e difícil de ajuizar” o Sporting da Cruz acabou por empatar a partida, deitando tudo por terra aquilo que o Paradela fez durante todo o jogo.

Leonardo Costa afirmou que “o jogo correu com muito fair play dentro e fora das quatro linhas, temos de aceitar o resultado, embora reconhecendo que a haver um vencedor seria o Paradela, pois foi a equipa que mais oportunidades criou e mais posse de bola teve. Uma palavra para a equipa de arbitragem, que esteve em grande plano e fez com que se realizasse um bom jogo, estando bem nos lances que ajuizou para ambas as partes, embora deixasse dúvidas no golo do empate em que o jogador da equipa adversária estaria num possível fora de jogo. Resumindo, o Paradela acabou por perder 2 pontos pelo futebol que praticou”, concluiu.