O CAT/Real Seguros recebe hoje,sabado, o Ribeirense, pelas 17h00, no primeiro jogo da final do «playoff» da Divisão A1 feminina no pavilhão da EB23 de S.Romão. A equipa da casa quer juntar o título à Taça de Portugal de 2006/07 e começar hoje com uma vitória.

Campeão nacional no ano de estreia na Divisão A1 feminina, em 2004/05, o CAT quer recuperar o ceptro esta temporada, depois de, na transacta, ter perdido na final ante o Sports Madeira.
A equipa orientada por Manuel Barbosa inicia a disputa do título ante o Ribeirense, equipa contra quem as trofenses já perderam por duas vezes e venceram três, uma delas nos quartos-de-final da Taça. Por isso, CAT ja venceu 3 vezes o Ribeirense e perdeu duasequilíbrio e competitividade estão garantidos na partida na Trofa, como adianta o técnico Manuel Barbosa "O Ribeirense é uma equipa muito forte, com muitas opções e é, normalmente, um adversário difícil. Mas nós temos gente com experiência, habituada a disputar finais, e espero que estes factores nos ajudem".
O facto de, ao longo dos três anos de existência, o Trofa ter estado "presente em todas as finais do Campeonato Nacional", como lembra Manuel Barbosa, é também um factor a considerar: "O título é o objectivo do clube e nós, equipa técnica e jogadoras, queremos conquistá-lo pela segunda vez. É um orgulho para nós e uma motivação grande podermos dizer que, em três épocas, estivemos em todas as finais do Campeonato e conquistámos todas as edições da Taça de Portugal".
No que respeita à disputa do segundo jogo do «playoff» final já na terça-feira, com a deslocação à Ilha do Pico, e o possível maior desgaste da equipa, o treinador é peremptório: "Este ano tivemos alguns azares em termos de lesões e, neste momento, só temos nove atletas disponíveis. O Ribeirense tem mais opções, o cansaço vai ser maior, mas nós estamos preparados para isso e para tentar vencer todos os jogos".
Agora que um dos objectivos do Trofa foi alcançado – chegar à final da A1 feminina -, a continuidade de Manuel Barbosa no comando técnico está em cima da mesa. Contudo, o treinador garante que isso não o preocupa: "A equipa técnica e a Direcção têm uma relação óptima e não estamos agora a tratar disso. Mas não será difícil acertar a continuidade".

Redacção c/ Norte Desportivo