O francês PIERRE BENSUSAN é o último guitarrista a atuar na edição 2011 do Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso. O concerto está marcado para a próxima sexta-feira, dia 3 de junho, às 21h30, no auditório da Biblioteca Municipal.

Se “O Mundo da Música” é o tributo que a música presta ao espírito de um grupo de seres humanos através de diferentes ritmos, instrumentos tradicionais e cores harmoniosas, o guitarrista, cantor e compositor franco-argelino, Pierre Bensusan pode ser reconhecido como um dos mais eloquentes e diversificados músicos do mundo no nosso tempo.

Descrito pelo L.A. Times como ” um dos únicos e brilhantes veteranos da guitarra acústica no mundo da música atual”, Pierre Bensusan foi votado como “Best World Music Guitar Player in 2008” (“Melhor Guitarrista do Mundo em 2008”) pela Guitar Player Magazine Readers Choice (Escolha dos Leitores da Revista Guitarristas).

Nascido em Oran, Argélia – francesa, em 1957, quando a França estava a descolonizar o seu Império, a família de Pierre Bensusan mudou-se para Paris quando ele tinha 4 anos. Iniciou os seus estudos formais de piano aos 7 anos de idade e aos 11 ensinava a si próprio, guitarra. Sob a influência naqueles primeiros tempos do boom revivalista do folk na Inglaterra, França e América do Norte, Bensusan começou por explorar primeiro a sua própria herança de diversidade musical e só depois partiu para outros horizontes.

Pierre Bensusan assinou o seu primeiro contrato de gravação aos 17 anos, e um ano depois o seu primeiro àlbum “Pres de Paris” venceu o Grand Prix du Disque depois da sua apresentação no Montreux Festival (Festival de Montreal) na Suiça. Ele tem a capacidade de fazer com que uma simples guitarra pareça uma banda completa capaz de hipnotizar a audiência durante a sua atuação.

Mais ainda, Bensusan é mais do que qualquer músico ou amante da música espera de um guitarrista. É também um grande compositor assim como vocalista bilingue e capaz de grande improvisação, misturando assobios e notas baixas ressonantes com algo como a sua própria técnica de scat (cantar). Há uma sensação de algo divertido e sério no seu trabalho, um incomparável sentido de liberdade nas suas composições e improvisações. A sua “forma” de tocar desafia a classificação – atravessa o mundo, clássico, jazz, tradicional, folk e mais. Nenhum pode ser isolado como apenas “Brasileiro”, “Árabe” ou “Francês”, mais do que isso, eles representam o nosso mundo no seu estado atual, um mundo de partilhas, misturando culturas em formas jamais experimentadas. A não perder!

O Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso (FIGST) é promovido há 18 anos consecutivos pela Câmara Municipal de Santo Tirso com o apoio artístico da ARTAVE e traz anualmente a Santo Tirso e a Portugal os melhores guitarristas internacionais e nacionais