A fibra resultante da reciclagem de garrafas de plástico está a ser transformada em cobertores por uma empresa têxtil de Famalicão, disse à Lusa, um dos administradores.

“Estamos ainda numa fase de confecção de amostras para enviar aos clientes mas já temos propostas de venda, em exclusividade, para o mercado francês e do Reino Unido”, referiu José Diniz, sócio gerente da empresa Vamaltex, em Novais, Famalicão.

A empresa de cobertores apresentou em Janeiro de 2009, na Alemanha, o primeiro cobertor feito com reciclado de garrafa de plástico.

“Tem sido um sucesso! Temos muitos pedidos para visitas à empresa e estamos a analisar algumas das propostas que recebemos para a venda exclusiva do modelo”, salientou ainda José Diniz.

A equipa de desenvolvimento de projectos da Vamaltex adquiriu o reciclado de garrafa a uma empresa de reciclagem de Portalegre.

“A rama que resulta da reciclagem, foi transformada em fio, foi tecida e cardada e, com os acabamentos finais, resultou num cobertor muito suave, leve e com bons comportamentos à lavagem e à secagem”, frisou o administrador.

A rama, totalmente acrílica, já é usada em Portugal, na indústria automóvel, para a forragem e enchimento dos assentos.

“O que fizemos foi pegar num produto que resulta da ‘moagem’ das garrafas de plásticos e transforma-lo num fio capaz de ser fiado em teares”, explicou a mesma fonte.

Com 50 funcionários e uma facturação que ronda os três milhões de euros, a Valmaltex fabrica 50 mil cobertores por mês.

“Trabalhamos para marcas como a Zara e para marcas francesas de grande qualidade”, disse Ricardo Jorge, também sócio gerente da fábrica de cobertores.

O arquitecto Siza Vieira já desenhou para a empresa de Famalicão um padrão que ainda está a ser produzido e comercializado.

A aposta, referem os responsáveis pela fábrica, vai ser agora nos “eco-cobertores”.

“Os custos de fabrico são semelhantes aos das fibras naturais e as encomendas vão começar a chegar”, referiu José Diniz.

A embalagem do cobertor feito de reciclado de garrafa está ser terminada mas é inovadora.

Cada cobertor será vendido dentro de um garrafão, reciclado, imitando os normais garrafões de água.

“Temos tido boa receptividade junto de empresas relacionadas com o engarrafamento e comercialização de água que querem oferecer os cobertores como ‘brinde’ aos clientes e a funcionários”, finalizou Diniz.