A GNR da Trofa e o SEPNA encontraram mais de 30 animais mortos e outros 70 em agonia numa loja de animais que foi abandonada pelos proprietários. 

Foi um cenário aterrador aquele que a GNR e o SEPNA (Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente) encontraram numa loja de animais, na segunda-feira, 26 de março, na rua José Maria Machado, junto ao cemitério de S. Martinho de Bougado.

O estabelecimento encontrava-se fechado desde 10 de março, mas “o som de animais”, que pareciam “estar em agonia” alertou a senhoria do espaço, que reside no primeiro andar do edifício.

No domingo, alertou a GNR da Trofa que, no dia seguinte, juntamente com o SEPNA, quis perceber o que se passava no interior da loja. Perante o abandono dos proprietários da loja, as autoridades tiveram que arrombar a porta do estabelecimento. No interior, encontraram 36 animais mortos, entre aves, peixes, duas tartarugas, um dragão barbudo (réptil) e roedores. Os restantes animais, cerca de 70, ainda vivos, foram encaminhados para o Parque Biológico de Vila Nova de Gaia, onde permanecem de quarentena. No entanto, logo que as autoridades entraram na loja, um elemento da SEPNA alimentou os animais.

A senhoria do espaço, que preferiu manter o anonimato, afirmou ao NT que, “no início, nem quis acreditar que estivessem lá animais”. “Sabia que comercializava animais, como peixes e aves. O meu irmão disse-me que as pessoas alertavam para a presença de animais na loja e, no domingo, fiquei atenta e, realmente, ouvi o som dos animais. Dirigi-me à GNR e pedi ajuda”, afirmou, explicando que não sentiu o cheiro dos animais mortos.

Os proprietários “saíram sem dizer nada” e “nem entregaram a chave do estabelecimento” à senhoria, o que explica a necessidade de arrombar a porta da loja. “Eles não devem estar cá, porque a senhora é madeirense e talvez tivessem ido para lá. Aliás, eles tinham um apartamento onde viviam aqui perto e já estavam em processo de despejo que se ia executar no dia 3 de abril”.

Uma testemunha afirmou ao NT que “a maior parte dos animais não tinha nada para comer”. “Mal deitaram comida, os animais começaram logo a comer. Estavam esfomeados”, contou.

Os proprietários da loja, um casal, serão notificados pela GNR da Trofa e alvo de uma contraordenação (multa).

{fcomment}