perseguicao_lousado

Esta manhã, na freguesia de Lousado, em Vila Nova de Famalicão, dois indíviduos bateram brutalmente contra uma casa ao tentar fugir de dois agentes da GNR. Ao que tudo indica, os jovens não tinham consumado nenhum assalto na zona, mas circulavam num carro da marca Honda furtado em Guimarães.

Eram cerca das 8.30 horas da manhã quando Rosa Coutinho “desconfiou” das movimentações de dois indivíduos, no centro da freguesia de Lousado, em Vila Nova de Famalicão, junto a um posto de abastecimento de combustível.

“Estavam a ir e a vir constantemente para o carro e tinham muito tabaco na parte de trás da viatura. Eu achei suspeito e liguei à GNR, comuniquei o facto e tirei a matricula do carro”, contou ao NT. Rosa Coutinho “desconfiava” que os jovens se preparavam “para assaltar o café ou a bomba de gasolina”. Mas, “graças à acção imediata da GNR”, nenhum assalto aconteceu.

A GNR de Vila Nova de Famalicão dirigiu-se ao local e os indivíduos que se aperceberam da chegada dos agentes, entraram dentro do carro e tentaram fugir.

“Mas a pequena rua que escolheram não tinha saída, fizeram marcha atrás , saíram a alta velocidade. A polícia que estava na rua disparou e eles fizeram inversão de marcha, saíram à estrada e despistaram-se, passaram o portão em ferro, e bateram no muro da casa”, recorda Manuel Araújo, morador da casa que foi albarroada pela viatura furtada.

Manuel Araújo lembrou ainda os momentos depois do “estrondoso” embate: “a polícia rodeou o automóvel com os ocupantes no interior, um saiu da viatura, o outro foi retirado pelos bombeiros numa maca, já levava soro, mas estava em muito mau estado”.

Manuel Sá, que veio ao café naquela hora também foi “apanhado no meio da confusão” e revoltado recordou o primeiro embate dos indivíduos, que foi no seu carro. “O meu carro foi afectado, porque estava estacionado junto ao café e quando os ladrões fizeram inversão de marcha para fugir à polícia bateram-lhe primeiro e depois é que bateram a uma grande velocidade na casa”, afirmou.

No final, o presumível assalto não foi consumado e ficaram apenas os prejuízos de um  aparatoso acidente.

O NT contactou o INEM para saber o estado de saúde dos jovens, mas até ao momento ainda não foi possível obter qualquer informação.