Fábio Paim, Milton do Ó e Zamorano. Estes são os nomes das últimas aquisições do Trofense, que completam o plantel para o início do campeonato. Todos eles prometem trabalho e colaboração para a conquista dos objectivos do clube.

  A agitação das contratações parece ter terminado para os lados do Trofense. Pelo menos neste defeso…

A direcção do clube da Trofa apresentou três novos jogadores na passada semana, em que o nome sensação foi o de Fábio Paim, atleta emprestado por uma época pelo Sporting e que muitos acreditam ser uma das jovens promessas do futebol português. Paim representou o Olivais e Moscavide na época transacta, nesta pré-temporada esteve como certo no Roeselare, mas a sua viagem acabou por o trazer à Trofa.

O NT falou com o jogador que considerou a sua entrada no emblema trofense "positiva, já que este clube está com uma equipa excelente" e espera contribuir de forma preponderante para o sucesso do clube para o campeonato.

"Trabalhar no máximo e ajudar a equipa a alcançar as suas metas" são os objectivos que Paim, pretende conseguir  obter com sucesso esta época. Representado pela empresa Gestifute, o médio ofensivo de 19 anos não esconde o desejo de voltar ao Sporting e ser uma das escolhas de Paulo Bento, o que não aconteceu quando o técnico tomou o lugar de José Peseiro no banco dos leões. "Fui treinado por ele nos juniores e ainda cheguei a integrar alguns trabalhos no plantel sénior, mas as escolhas do treinador fizeram com que não ficasse".

Por seu lado Milton do Ó nunca jogou num escalão inferior que a primeira liga e até no Brasil representou sempre equipas de primeira. Agora está no Trofense, por empréstimo do Marítimo. Um passo atrás? "Algumas pessoas podem pensar assim, mas para mim é um desafio estar na segunda divisão, é com muita humildade que encaro esta realidade e espero sair vencedor", referiu.

O brasileiro veio para colmatar a saída de William, que rescindiu contrato, de forma amigável com a direcção do Trofense. Para Milton do Ó o primeiro objectivo passa por enquadrar-se no plantel e "incorporar o projecto do clube, que é mais importante que o meu próprio projecto".

Quanto à equipa que gostaria de representar o central foi peremptório: "Neste momento gostaria de representar o Trofense. O que eu procurei prezar durante a minha vida futebolística, foi o profissionalismo, e já que eu tenho um ano para trabalhar aqui, é com fé e grande força de vontade que eu vou tentar corresponder", concluiu.

Zamorano foi outras das aquisições de última hora do Trofense. Oriundo do Estrela da Amadora, clube que representou durante três épocas, este médio teve como treinador Toni e volta, assim a reencontrá-lo na Trofa. "Na minha vinda para cá pesou o facto de cá estar o treinador e alguns colegas que já trabalharam comigo. O facto de estar perto de casa também contribuiu para acxeitar o contrato", referiu o atletas que vem para o Trofense com o intuito ajudar e conseguir fazer uma boa temporada.

Quanto a objectivos, Zamorano revelou que pretende, "em primeiro lugar, concretizar os objectivos do clube. Espero jogar, dar o meu contributo à equipa e com essa mentalidade no final, obviamente, todos nós sairemos de consciência tranquila e com o pensamento de que fizemos tudo para dignificar o clube".

 

Trofense com nota positiva num mês de preparação

Nem só de entradas e saídas a pré-temporada do Trofense é caracterizada. Enquanto que o mercado futebolístico esteve ao rubro, Toni ia, simultaneamente preparando os jogadores para a próxima temporada.

Com um mês de preparação, incluindo jogos-treino e duas eliminatórias da Taça da Liga, Toni tem registado um trabalho positivo desenvolvido pelos atletas. "Nestes trinta dias que levamos de trabalho denoto que a equipa está a evoluir. Como é do conhecimento geral, esta é uma equipa praticamente nova, entraram muitos jogadores,e o meu objectivo é conseguir que a equipa no inicio do campeonato esteja no seu rendimento quase máximo".

Com 25 atletas ao seu serviço, Toni lamenta o facto do boletim clínico ser vasto, o que torna o número de disponíveis bem pequeno, "neste momento temos quatro jogadores lesionados, dois deles só estarão em condições de voltar à competição no próximo ano, que é o Pedro Rios e o Leonardo, o Reguila continua ainda numa fase evolutiva da sua lesão e só daqui um mês um mês é que poderá integrar os trabalhos a cem por cento e o Paulo Sousa também está em tratamento. Com este quadro clínico e com três guarda-redes restam-me 18 jogadores de campo".