Erros na construção de lances de ataque foram as razões principais para a derrota do Trofense frente ao Guimarães, na segunda eliminatória da Taça da Liga. Mrdakovic foi o protagonista do jogo, assinalando o único golo da partida.

  Foi curta a estadia do Clube Desportivo Trofense na Taça da Liga. Este domingo a equipa da Trofa recebeu o Vitória de Guimarães e perdeu por um tangencial 0-1, obtido na primeira parte. Já os atletas de Manuel Cajuda carimbaram a passagem à terceira eliminatória desta nova competição, constatando num jogo oficial, a invencibilidade conseguida em jogos de preparação.

Sob um estádio pintado, maioritariamente, de preto e branco, com mais de 1000 adeptos vimaranenses, a equipa  caseira foi a que a primeira a tomar iniciativa ofensiva, por Rui Borges II, num remate sem perigo para a baliza de Nilson.

O desnível qualitativo dos plantéis, devido às exigências de escalões diferentes ocupados por cada uma das equipas, e o poderio físico do conjunto vimaranense acabou por inverter a superioridade, que, pouco a pouco, foi adquirida pelo Guimarães.

Ghilas foi o primeiro a testar Paulo Lopes em duas ocasiões consecutivas, num remate ao lado do poste esquerdo da baliza e outro que obrigou o guardião trofense a defender para canto.

O Trofense pecava na construção de jogo, ao errar passes no sector intermédio, que para além de resultar em ineficácia ofensiva, eram cada vez mais fatais para a sua baliza. Por outro lado os atacantes do Guimarães pareciam estar em dia inspirado. E foi num lance de génio de Alan e Fajardo, que nasceu o único golo da partida.

Sobre o flanco esquerdo do ataque, o ex-portista serviu em profundidade o outro extremo, Fajardo, que por sua vez cruzou para Miljan Mrdakovic, que sem oposição no interior da grande área, cabeceou para o fundo das redes.

Depois do golo, Toni reviu a estratégia e fez entrar o avançado Edú Souza para o lugar de Edú. A substituição pouco mudou o rumo de jogo do Trofense, que apenas viu Milton do Ó a acertar no poste de Nilson e ainda um lance em que Marcos António cai dentro da grande área, alegando grande penalidade, que Carlos Xistra não concedeu.

Já o Guimarães, aproveitando o avanço do adversário no terreno, podia ter ampliado, novamente por intermédio de Mrdakovic, mas o sérvio não fez melhor do que possibilitar a Paulo Lopes a defesa da tarde.

Ao contrário do início da primeira parte, a etapa complementar começou com o domínio dos forasteiros. A sorte, porém, não esteve do lado dos vimaranenses, que podiam ter acabado com o jogo mais cedo, num lance de Fajardo, que assinalou uma exibição de grande qualidade na Trofa, ao acertar de trivela com o esférico na barra da baliza, e depois Ghilas, que falhou, escandalosamente, a recarga de uma defesa de Paulo Lopes a um remate do inconformado Alan.

Já com Cascavel dentro de campo, o Trofense passou a reagir com mais frequência, empurrou o Vitória para o seu último reduto, mas nunca conseguiu importunar verdadeiramente o guardião Nilson.

O caso do jogo aconteceu aos 72 minutos, com Carlos Xistra a errar, grosseiramente, uma medida disciplinar que de modo correcto conduziria à expulsão de Sereno. O lateral do Guimarães fez falta sobre Cascavel, condicente à exibição do segundo amarelo, no entanto, Carlos Xistra optou por sancionar Flávio, que nada teve a ver com a jogada.

O último lance do jogo pertenceu a Cascavel, que não conseguiu estabelecer a igualdade, que levaria as equipas para o desempate a partir de grandes penalidades.

"Passes errados sentenciaram exibição da equipa"

 Para Toni o que faltou à equipa da Trofa foi qualidade de passe. "As bolas de saída nunca aconteciam, o que acabou por sentenciar toda a nossa estratégia. No entanto, isto deveu-se ao facto do adversário ter-nos pressionado bastante, por já nos conhecer e saber que caso nos desse espaço teria grandes dificuldades".

O técnico reconheceu o mérito do Guimarães, que foi um "justo vencedor" e parabenizou todos os seus atletas, que "lutaram durante toda a partida".

Para o campeonato, Toni pretende ter este jogo em análise, para que "não aconteça o mesmo com adversários com a mesma estratégia do Guimarães". O teste começa já com o Fátima, equipa sensação que subiu esta temporada à Liga Vitalis e eliminou o Académica nesta eliminatória da Taça da Liga: "esta vitória do Fátima é um aviso. Vamos ter muitas dificuldades em vencer no seu reduto".

Relativamente à arbitragem, o técnico apenas deixou o seu comentário sobre o lance de Marcos António dentro da grande área, em que "parece haver grande penalidade" e alertou para a existência de uma "lei de vantagem", que não deve ser dada.

"Guimarães foi mais forte"

 Satisfeito com o triunfo, Manuel Cajuda afirmou que o Vitória foi "mais forte", num "mini-derby" que "já se adivinhava difícil". O técnico sublinhou o facto da sua equipa ter tido "muitas oportunidades para marcar o golo da tranquilidade", mas que nunca conseguiu concretizar.

Um começo "que se esperava", ainda por cima, quando "durante algum tempo se escreveu que hoje é que seria a sério, como se até agora estivéssemos a brincar", asseverou o técnico, acrescentando que "estavam à espera que fosse desta vez que o Vitória fosse perder. Temos consciência de que isso vai acontecer e que quantas mais vezes ganharmos, mais próximos estamos da derrota, mas a equipa voltou a jogar bem, contra um adversário que é sempre difícil de bater", concluiu.

 

2ª Eliminatória

Jogo: Estádio Clube Desportivo Trofense

Trofense: Paulo Lopes, Bessa, Valdomiro, Milton do Ó, Fernando Dinis (Zamorano 75'), Edú (Edú Souza 38'), Pinheiro e André Barreto, Rui Borges I, Rui Borges II e Marcos António (Cascavel ao int.)

Treinador: Toni

V. Guimarães: Nilson, Andrezinho, Danilo, Geromel, Sereno (Carlitos 76'), Flávio, Alan, João Alves, Fajardo (Desmarets 63'),Ghilas (Moreno 79') e Miljan Mrdakovic

Treinador: Manuel Cajuda

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco), auxiliado por Luís Marcelino, Paulo Carrilho e Jorge Sousa

Cartões Amarelos: Fernando Dinis (14'), Sereno (58'), Flávio (72'), André Barreto (79')

Marcadores: Miljan Mrdakovic (31')

Resultado ao intervalo: 0-1

Resultado final: 0-1