Foi num salão repleto de convidados que o Centro Comunitário da ASAS da Trofa (CCT) celebrou o seu 13.º aniversário. A data foi comemorada com uma “atividade diferente”, no dia 30 de novembro.

Utentes, colaboradores, familiares e outros reuniram-se na tarde de domingo para soprar as velas àquele que é um centro “ao serviço da comunidade”. Este ano, a instituição decidiu inovar e convidou o Teatro Amador do Círculo Católico de Operários (TACCO) de Vila do Conde. Entre risos, comédia e música, o grupo de teatro interveio com o público e apresentou a peça “A Birra do Morto”. Trata-se de uma comédia teatral, baseada num texto de Vicente Sanches com encenação de Afonso Carvalho. “Teatro é cultura e é algo que as pessoas não têm hábito ou possibilidade de ir, por isso decidimos trazer cá este grupo de teatro amador”, explicou Mónica Silva, coordenadora técnica do CCT.
Há 13 anos a “dar respostas que vão de encontro às necessidades sociais da comunidade”, o balanço é “positivo”. “Se assim não fosse não continuávamos a investir nas nossas atividades”, afirmou Mónica Silva.
Neste momento, o o CCT tem um projeto em curso relativo a um programa operacional de respostas integradas para pessoas com problemas ao nível da “adição”, tanto de álcool como de toxicodependência. A instituição promove ainda atividades de dinamização local, de carácter “intergeracional” e de “revitaliza-ção das tradições”.
Quanto a projetos futuros, a coordenadora ressalva de que “estão sempre a pensar em novos projetos”, embora neste momento não tenham nada “em particular”. “Queremos fazer mais e melhor e as coisas vão evoluindo”, refere, acrescentando que tal como “a instituição tem crescido”, o CCT “também cresce e quer fazer novas respostas”. Segundo Mónica Silva, o último projeto que implementa-ram foi o “apartamento de autonomia”, que é um apartamento que acolhe atualmente quatro jovens. O “sonho”, seria fazer outro em Santo Tirso, mas “para rapazes”, porque na Trofa acolhem apenas “raparigas”. “Esse poderá ser um dos projetos que a ASAS poderá a vir a imple-mentar futuramente”, concluiu.
A comemoração do aniversário do CCT ficou ainda marcado, como é “habitual”, com uma missa celebrada pelo Padre Luciano Lagoa, que decorreu esta segunda-feira.