Com o objetivo de dar asas às crianças, milhares de pessoas passaram pelo Mercado Ferreira Borges, no Porto, para contribuir através da compra de artigos e objetos. Pedro Passos Coelho e o autarca Rui Moreira não quiseram passar à margem desta iniciativa.

O Mercado Ferreira Borges foi o palco escolhido pela ASAS- Associação de Solidariedade e Ação Social de Santo Tirso para realizar, entre os dias 28 e 30 de novembro, a iniciativa ASAS Weekend com o objetivo de vender artigos de marcas conceituadas em termos nacionais, para angariar fundos para a instituição que apoia crianças e jovens des-favorecidos.
O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, visitaram, na tarde de sábado, a mostra, que deu a conhecer o trabalho da instituição instalada em Santo Tirso e com uma delegação na Trofa. Passos Coelho e Rui Moreira assistiram à atuação de um grupo de vozes da ASAS e fizeram questão de subir ao pal-co para os cumprimentar.
Helena Oliveira, presidente da direção da ASAS, era o rosto da felicidade de todos os que trabalham de perto com a instituição. “Em vez de fazer um pequeno evento, resolvemos formar um grupo mais amplo. Tivemos o apoio dos nossos parceiros habituais, que, por seu lado, convidaram ou-tras empresas a participar, tendo à venda desde jogos, brinquedos, vestuário, calçado, louças e deco-ração, o que efetivamente se traduziu num sucesso”, explicou.
Segundo a presidente, a escolha do Mercado Ferreira Borges “foi arriscada, não só por ser um local emblemático do Porto, mas porque traz outra visibilidade e é fora da área de atuação” da instituição. Helena Oliveira considerou que a afluência de público de âmbito nacional e o interesse de-monstrado “são prova de que o trabalho é já reconhecido fora dos concelho onde intervém direta-mente”. “Honrou-nos muito que o presidente da Câmara do Porto tivesse trazido o primeiro-ministro à nossa feira, uma vez que a ASAS tem realizado um trabalho que se pauta pela dignidade e faz com que a nossa credibilidade se-ja cada vez maior. As pessoas acreditam no trabalho que a insti-tuição está a fazer e começa a ter repercussões”, denotou, mencionando que a presença do primeiro-ministro é “a prova” de que começam “a ultrapassar barreiras, mesmo sem se darem conta”.
À margem da feira, a presidente fez um balanço do primeiro mandato à frente da ASAS, que, na sua opinião, serviu para “aprender e conhecer a instituição e a realidade que envolve”. Sendo única candidata a presidente da instituição nas próximas eleições, Helena Oliveira contou que é “a mesma equipa” que vai a escrutínio dos associados, sendo objetivo, no próximo mandato, “continuar a trabalhar para o futuro da instituição”.MMA