Ainda não está cem por cento entrosado, mas já apresenta períodos de bom futebol. O Trofense conseguiu a primeira vitória no campeonato frente ao Gil Vicente, com um golo de Valdomiro aos quarenta e quatro minutos de jogo. Equilibro e contestação foram as palavras de ordem deste encontro.

  Valdomiro foi o protagonista da primeira vitória do Trofense na Liga Vitalis, ao ter apontado, de cabeça, o golo solitário, que deu os três primeiros pontos à equipa de Toni, frente ao Gil Vicente. O jogo foi pautado pela incerteza do resultado até ao final da partida e por alguma contestação.

Para este jogo estavam equipas com disposições diferentes: os de Barcelos vinham de uma vitória caseira folgada (3-0) frente ao Estoril, enquanto que o Trofense precisava de fazer esquecer a derrota na ronda inaugural com o recém-promovido Fátima.

Os momentos iniciais da partida saldaram-se com oportunidades de golo para ambos conjuntos, tal era o equilibrio evidenciado dentro das quatro linhas.

Toni colocou um onze com duas alterações face ao confronto com o Fátima, uma forçada, devido à expulsão de André Barreto, que foi substituído por Marcos António e outra em que optou por dar a titularidade ao defesa direito Maia.

O primeiro lance de perigo foi dado pela equipa caseira, à passagem da meia hora de jogo, com um remate de Edú a rasar o poste direito de Paulo Jorge. Mas foi o Gil Vicente a colocar primeiro o esférico dentro da baliza, contudo o lance foi anulado por fora-de-jogo. Aproveitando da melhor forma uma defesa incompleta de Paulo Lopes, Pedro Ribeiro chutou para o fundo das redes, mas o golo foi invalidado. O descontentamento dos responsáveis do emblema gilista despontou aí, tendo culminado na expulsão do adjunto Hugo Oliveira e o técnico de equipamentos Luís Pinto, já no decorrer da segunda parte.

Apesar de intercalado com momentos desinspirados, fruto ainda da pouca estabilidade do plantel, o Trofense apresentou alguns períodos de bom futebol, um deles que acabaria por resultar no tento solitário que fixou o resultou.

Marcos António foi o primeiro a testar Paulo Jorge num remate forte, que o guardião gilista desviou para canto e na sequência, o Trofense conseguiu mesmo chegar ao golo, num cabeceamento de Valdomiro, quando faltavam poucos instantes para o descanso.

Convicto em conseguir um bom resultado, o Gil Vicente regressou do intervalo a procurar o golo da igualdade. Os primeiros a testarem Paulo Lopes foram Filipe Fernandes e Hermes.

A reacção do Trofense surgiu com um lance de combinação entre Fábio Paim, Rui Borges I e Edu Souza, em que o último teve nos pés uma soberana oportunidade para dilatar a vantagem, mas o remate acrobático acabou por sair ao lado da baliza adversária.

O banco do Gil Vicente continuava descontente com a exibição de Paulo Pereira, alegando depois que o árbitro não assinalou duas grandes penalidades, uma a castigar uma suposta mão na bola de Pinheiro e outra por uma falta de Maia a Tiago André, dentro da grande área.

A partida continuou com uma sucessão frenética de oportunidades de golo, em que a última pertenceu a Vitor Hugo, que frente a frente a Paulo Jorge, não teve a frieza suficiente para bater o guarda-redes gilista.

Toni – "A equipa ainda não apresenta um futebol estável"

 Mesmo satisfeito com a vitória, Toni continua o seu discurso cauteloso relativamente à exibição da equipa. "Foi uma vitória difícil" frente a uma equipa, que "obrigou o Trofense a um trabalho intenso". Apesar de já apresentar um futebol eficiente "a nível de espaços", para o técnico o Trofense "ainda não é uma equipa com um futebol estável". O resultado negativo na primeira jornada provocou uma "ansiedade considerável" nos atletas, que conseguiram, contudo, fazer um jogo bem disputado. O facto de "logo no início do campeonato apontarem o Trofense como candidato à subida de divisão", também não augura a favor dos jogadores. Para Toni, mais importante é "fazer um campeonato tranquilo", percorrendo o caminho já delineado.

Questionado sobre a exibição de Paulo Pereira, alvo de duras críticas por parte dos responsáveis do emblema de Barcelos, Toni afirmou que "a semana passada perdi e não fiz qualquer tipo de comentário ao árbitro e não é por ter ganho que o vou fazer".

Paulo Alves – "Um golo legal que daria outro cariz ao jogo"

 Paulo Alves considerou o resultado "extremamente injusto" para o Gil Vicente, já que a equipa marcou "um golo legal, que o árbitro acabou por invalidar". Caso lance não fosse anulado, o resultado positivo "daria outro cariz à partida". Não deixando de parabenizar os seus atletas, Paulo laves explicou ainda que para além da exibição de Paulo Pereira, também a atitude do Trofense contribuiu para a exaltação dos ânimos no banco gilista: "os jogadores demoravam muito tempo para repor a bola em jogo e é evidente que isso estraga o espectáculo, desmoraliza a equipa que quer dar a volta ao resultado e irrita as pessoas", frisou.

O técnico do Gil Vicente voltou ainda a apontar o dedo ao árbitro, sublinhando que "Tiago André é claramente impedido de ir à bola dentro da grande área. É, por isso, lance para grande penalidade, Paulo Pereira não o entendeu e lá saberá o porquê".

Liga Vitalis – 2ª Jornada

Jogo: Estádio Clube Desportivo Trofense

Trofense: Paulo Lopes, Maia, Valdomiro, Milton do Ó, Zamorano, Edu, Pinheiro, Rui Borges I (Kazeem 82'), Edu Souza (Cascavel 75'), Fábio Paim (Vítor Hugo 65') e Marcos António
Treinador: Toni

Gil Vicente: Paulo Jorge, Paulo Arantes, Diego Gaúcho, Pedro Ribeiro, João Pedro, Filipe Fernandes, Luís Miguel (Bruno Filipe 77'), Igor Souza, João Vilela (Luís Coentrão 45'), Maciel (Tiago André 61') e Hermes

Treinador: Paulo Alves

Árbitro: Paulo Pereira (AF Viana do Castelo), auxiliado por Fernando Pereira, Henrique Parente e José Moreira

Cartões Amarelos: Milton do Ó (12'), Igor Souza (35'), Maia (40'), Fábio Paim (45'), João Pedro (60'), Filipe Fernandes (64'), Paulo Lopes (88'), Zamorano (90') e Cascavel (90'+4')

Marcadores: Valdomiro (44')

Resultado ao intervalo: 1-0

Resultado final: 1-0