ASAS apresentou um livro que fala dos sentimentos dos meninos que estão nos centros de acolhimento da associação, acerca da adoção. Vendas da obra revertem a favor da ASAS.

“A Asinhas conheceu o Joca num belo dia ensolarado de novembro. Eles iam ser grandes amigos e viver uma aventura juntos, só ainda não sabiam disso…”. Este é o mote para a história de Joca, um menino que tinha muito medo de ser adotado. O livro de Vera Ramalho é uma obra baseada nas “descobertas e sentimentos” das crianças que estão nos centros de acolhimento da ASAS (Associação de Solidariedade e Acção Social de Santo Tirso).

A apresentação do livro foi feita no auditório da AEBA, na noite de sexta-feira, no Dia da Criança, e foi abrilhantada por uma peça de teatro em que os atores eram todos os protagonistas. Como “o tema da adoção não está muito explorado e é muito delicado”, a ASAS, com a experiência de 18 anos, “sentiu necessidade de expressar e mostrar os sentimentos dos meninos”, explicou Helena Oliveira, presidente da associação.

“Convidámos uma psicóloga (Vera Ramalho) da Universidade do Minho que prontamente aceitou o desafio e assim começou a ser feito o livro, que é praticamente construído com o que eles dizem, os medos, os receios de virem a ser adotados, espelhando bem o que lhes vai na cabeça e na alma”, acrescentou.

Para conseguir concretizar este passo, a ASAS contou com alguns apoios como da empresa Eurico Ferreira e do Casino da Póvoa de Varzim. Para além destes, também o ilustrador Manuel Loureiro “soube adaptar na perfeição os desenhos feitos pelos meninos”. O custo do livro reverte a favor dos centros de acolhimento e pode ser adquirido na sede da ASAS, em Santo Tirso. A história do Joca vai continuar a ser divulgada “em todas as atividades que a associação promover”. “A Segurança Social considerou que o livro era uma boa partilha, pelo que comprou exemplares para divulgar a obra a nível nacional em todos os centros de adoção e distribuir pelos pais”.

{fcomment}