No seguimento de um processo interposto por Charles Chad contra o Clube Desportivo Trofense, o estádio foi penhorado. José Leitão contou que em Assembleia Geral Extraordinária os sócios vão decidir o que fazer.

“Já sabia que isto ia acontecer”. Estas são as palavras de José Leitão, presidente da Comissão Administrativa do Clube Desportivo Trofense, relativamente à penhora do estádio, devido a um processo interposto pelo jogador Charles Chad contra o clube. O presidente afirmou que o tribunal tentou “por todo o lado buscar dinheiro”, mas na situação em que o clube está isso não foi possível daí a penhora do estádio. 

Apesar de esta ser a “sentença final”, a ideia de José Leitão é a de tentar chegar a um acordo. Mas antes, o assunto será retratado na Assembleia Geral Extraordinária, que vai acontecer na sexta-feira, dia 8 de junho, onde, com os sócios, vão decidir o que fazer. 

“É verdade que recebi a notificação, agora, na assembleia, vou contar o que se está a passar. Acho que já sofri muito, dez meses de sofrimento já chegou”, asseverou. Recorde-se que o jogador brasileiro, Charles Chad, chegou ao Trofense na época de 2008/09, tendo transitado para a época seguinte. Já no dia 25 de abril de 2010, o clube anunciou que tinha autorizado o jogador a procurar um novo clube para jogar na próxima temporada. No início da época de 2010/11, o atleta foi impedido de realizar os habituais exames médicos para o clube. O avançado, na altura com 28 anos, ainda tinha mais um ano de contrato, tendo ficado em litígio com o Trofense, visto que a direção, a cargo de Rui Silva, pretendia rescindir com o jogador sem o compensar. Uma situação que não foi aceite pelo jogador que interpôs um processo contra o clube. Nas divergências entre o clube e Charles Chad estaria o elevado salário auferido pelo jogador, que recebia 10.500 euros mensais, o que sobrecarregava o orçamento do clube.

Assembleia das decisões na sexta-feira

O Clube Desportivo Trofense convoca todos os associados a participarem na Assembleia Geral Extraordinária, que se vai realizar na sexta-feira, pelas 20.30 horas, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado.

Além da eleição de corpos sociais para o biénio 2012/14 e da discussão e votação do Relatório e Contas, relativo ao período de 1 de julho de 2011 a 31 de maio de 2012, referente à época desportiva de 2011/12, a situação atual do clube será outro dos pontos em cima da mesa. José Leitão vai contar o que se “está a passar com o clube” e apresentar uma possível parceria com a empresa desportiva LS Soccer, da qual Lucas Santos é proprietário. O empresário, que chegou na segunda-feira do Brasil, também estará presente para apresentar a sua proposta aos sócios. José Leitão não tem expectativas para esta Assembleia, frisando que apenas há dois desfechos: “fechar o clube” ou “arranjar uma salvação”. Uma decisão que estará a cargo dos sócios do clube trofense.

 {fcomment}