Milha Urbana juntou 450 atletas na Trofa. Prova da responsabilidade da autarquia mereceu vários elogios.

“Aos seus lugares…pronto…partida”. Este foi um ritual repetido durante a tarde de sábado na primeira Milha Urbana da Trofa.

A zona envolvente à estação da CP transformou-se numa pista de atletismo, onde cerca de 450 atletas de vários escalões lutaram pelo lugar mais alto do pódio.

A prova foi organizada pela divisão de Desporto e Juventude da Câmara Municipal da Trofa e contou com o apoio do Ginásio da Trofa e da Associação Cultural e Recreativa  de Vigorosa.

As provas decorreram por ordem crescente de escalões e muitos atletas destas associações subiram ao pódio, como o caso de Alice Oliveira, da Vigorosa, que venceu a prova em benjamins B, de Sara Teixeira, do Ginásio da Trofa, que arrecadou o 2º lugar em infantis, ou de Rui Rocha que foi “medalha de prata” em infantis.

Para a Milha Urbana, o Ginásio da Trofa não pôde contar com Elsa Maia, uma das atletas mais promissoras do concelho, que no mesmo dia conquistou o 4º lugar nacional em 1500 metros obstáculos. Mesmo assim, a coletividade conseguiu conquistar muitos prémios, inclusive um pódio completo no escalão de iniciados com Andreia Rodrigues, Ana Ribeiro e Ana Ramos.

A tarde de calor ajudou à realização desta prova que desafiava os atletas a percorrerem 1609 metros no menor tempo possível.

As crianças do 1º ciclo das escolas da Trofa também tiveram oportunidade de correrem numa prova em que a presidente da Câmara, Joana Lima, deu o tiro de partida. A corrida dos mais pequenos “foi uma forma simbólica” de envolver as crianças do concelho nesta iniciativa que “fomenta a prática desportiva”, explicou Teresa Fernandes, vereadora do pelouro do Desporto e Juventude. Para além disso, esta é também uma maneira de “descobrir potenciais atletas”.

A autarca salientou a existência de “grandes campeões” na Trofa, que crescem nas associações como o Ginásio da Trofa e a Vigorosa.

Em seniores femininos, a mais rápida foi Andreia Santos, da JOMA, enquanto no masculino, depois de alguma indecisão, Bruno Jesus, do Maia Atlético Clube foi reconhecido como grande vencedor. O atleta elogiou a organização da iniciativa, apesar da dificuldade da prova: “Se continuar com a milha, a Trofa vai chamando os atletas, o que é sempre importante para o atletismo”.

Teresa Fernandes fez um “balanço positivo” da primeira edição da Milha Urbana: “Foi uma tarde muito divertida dedicada ao atletismo. A Câmara Municipal da Trofa quis juntar-se às associações do nosso concelho que desenvolvem esta modalidade”.

Para Botelho da Costa, presidente do Ginásio da Trofa, a Milha Urbana “é mais um passo em frente não só para a associação e para os atletas, mas também para o concelho”. “Foi uma experiência nova. Já fizemos grandes prémios, mas este ano optamos por uma prova diferente, que envolve menos efetivos e menor volume de verbas, já que estamos num período de contenção. Foi uma boa experiência, que contou com presenças de relevo”, frisou.

A Milha Urbana também mereceu os elogios de Pedro Sá, da ACR Vigorosa: “Apesar de haver algumas coisas que precisam de melhorar, penso que é uma prova muito boa”.
Inserido na iniciativa Milha Urbana da Trofa, financiada pelo ON2 no âmbito da candidatura Parcerias para a Regeneração Urbana – Requalificação dos Parques Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, decorreram durante toda a tarde de sábado, nos Parques, rastreios, demonstrações desportivas, atividades lúdico-desportivas e caminhadas.

{fcomment}