Na cerimónia de recepção aos conceituados grupos, no salão nobre dos Bombeiros Voluntários da Trofa, o presidente da direcção das Lavradeiras da Trofa, Luís Elias, agradeceu a presença "a todos aqueles que como o grupo das Lavradeiras vivem intensamente o folclore e a etnografia".

 O Rancho das Lavradeiras da Trofa realizou a décima sétima edição do seu Festival e nem a chuva desmoralizou a organização. O mau tempo que se fez sentir no passado sábado apenas obrigou à alteração do local do espectáculo, que ao invés de se realizar junto à Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, como agendado inicialmente, teve lugar na parte coberta da Feira e Mercado da Trofa.

Para actuar no 17º Festival do Rancho das Lavradeiras da Trofa foram convidados os Grupos Folclóricos de Cacia, Paul, Alcácer do Sal e Golegã. Três conjuntos de pontos distintos do país e que mostraram diversas tradições lusas no concelho.

Na cerimónia de recepção aos conceituados grupos, no salão nobre dos Bombeiros Voluntários da Trofa, o presidente da direcção das Lavradeiras da Trofa, Luís Elias, agradeceu a presença "a todos aqueles que como o grupo das Lavradeiras vivem intensamente o folclore e a etnografia" e sublinhou que "hoje (sábado) estão na Trofa grupos de referência e de elevada importância no panorama etnofolclórico de Portugal".

"Normalmente o rancho das Lavradeiras da Trofa é criterioso nos convites que faz para o seu festival, porque é uma iniciativa que tem 17 anos, sempre com um nível elevado de qualidade e quando convida os grupos que vêm ao nosso festival fá-lo nessa base de rigor e de representatividade que eles encerram nas regiões em que estão inseridos", acrescentou.

O presidente não deixou de referir que "o folclore em Portugal tem melhorado significativamente", e um dos aspectos que tem contribuído para essa evolução positiva "é a forma como os grupos recebem os seus parceiros". E isso "é uma das coisas que se pretende sempre honrar na Trofa".

Mais do que mostrar às pessoas do concelho o que são as tradições de vários pontos distantes da comunidade lusa este festival contribuiu para a "troca de experiências com grupos de regiões diferentes", o que acaba por se revelar numa "forma de aprendizagem".

Relembrando que este "é o ponto mais alto" das actividades do Rancho das Lavradeiras da Trofa, Luís Elias aproveitou para agradecer o apoio da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado "pela disponibilidade que sempre mostrou para ajudar o grupo, como o fez hoje (sábado) ao ceder-nos o espaço da Feira e Mercado da Trofa" e à Câmara Municipal da Trofa "pela cedência de transporte, fundamental para que o grupo possa correr o país".

Presente na cerimónia, o edil trofense, Bernardino Vasconcelos, referiu que o apoio dado ao Rancho das Lavradeiras da Trofa é "o possível" e "dado com todo o gosto" e enalteceu a escolha dos grupos para este festival, "conjuntos de extrema qualidade".

O presidente a autarquia não deixou de registar "a renovação constante dos ranchos. Vejo aqui muitas pessoas jovens e isso é muito interessante, porque traz muito para a cultura e para as instituições".

Juntamente com o edil, também o vereador da cultura, António Pontes, o membro da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, José Ribeiro, e o presidente da assembleia-geral do Rancho das Lavradeiras da Trofa, Aníbal Costa, entregaram lembranças a todos os grupos presentes. Peças de artesanato elaboradas por Alberto Coutinho Lima, director do rancho trofense, a quem Luís Elias agradeceu a participação.

"O Rancho das Lavradeiras da Trofa é reconhecido nacionalmente"

O Festival Lavradeiras 2008 decorreu com grupos de renome nacional, que "honrou" o grupo da Trofa. Em declarações ao NT, Luís Elias afirmou que para a realização desta iniciativa estiveram envolvidas "todas as pessoas ligadas ao grupo", e sem elas "não seria possível termos mudado o local do festival, porque conseguiram-no fazer no espaço de três horas".

Os convites endereçados aos diferentes grupos folclóricos tiveram rapidamente resposta positiva, porque o Rancho das Lavradeiras é um "grupo reconhecido pelo país e a Trofa é uma terra que recebe bem".

Da agenda preenchida com algumas presenças em eventos exteriores ao concelho, Luís Elias sublinhou a participação, no dia 8 de Junho, no Centro Nacional de Exposições, em Santarém, numa iniciativa que junta 50 grupos folclórico e em que o Rancho das Lavradeiras da Trofa é um dos quatro que vai pisar o palco principal".

Cátia Veloso