Mais duas casas foram entregues na habitação social em Mosteirô, na freguesia de S. Martinho de Bougado, na passada quinta-feira. Bernardino Vasconcelos, presidente da autarquia trofense, em visita ao complexo habitacional, enalteceu o trabalho da Brigada Pro-Família e lembrou os "novos desfavorecidos, que têm surgido na sequência da crise económico-financeira do país".

habitacao-social-(5).jpg"Esta é a perspectiva de uma política social abrangente e virada para as pessoas, para os mais desfavorecidos". Foi desta forma que Bernardino Vasconcelos, presidente da autarquia trofense, caracterizou o trabalho social desenvolvido no concelho, depois de ter entregue mais duas casas na habitação social em Mosteirô, freguesia de S. Martinho de Bougado. Um dos contemplados foi um senhor com mais de 50 anos que vivia isolado e em condições precárias.

Faltam ainda entregar seis habitações do complexo habitacional construído pela Câmara em Mosteirô,  mas segundo o edil "o número de pessoas do agregado tem de ser adequado com os espaços disponíveis, numa selecção sempre criteriosa, tendo em atenção os rendimentos e as condições em que as pessoas habitam anteriormente".

"Mas penso que emergem neste momento e com alguma gravidade, outros desfavorecidos que se encontram com grandes dificuldades, face à crise económico-financeira do país e eu tenho conhecimento de situações muitíssimo graves, hoje a minha agenda está cheia, constantemente cheia de questões sociais alarmantes", alertou Bernardino Vasconcelos, à margem da visita às habitações.

Preocupado com estes novos casos, o edil diz estar a ponderar investir mais dinheiro  no apoio aos mais desfavorecidos do concelho. "Enquanto o país não arranca e o bem-estar das famílias não melhora estamos a pensar aplicar as receitas da câmara, num apoio aos mais desfavorecidos. Fazer uma pausa no betão, embora não deixando de o enquadrar, uma vez que há obras candidatas aos fundos comunitários e nós não podemos perdê-los, mas tirando essas obras, estamos a pensar seriamente em enquadrar um apoio financeiro para servir de almofada a essa situação gravíssima pela qual a população está a passar", adiantou.

Recorde-se que o complexo habitacional recebeu os primeiros inquilinos, em Outubro de 2007. Os dois pólos de habitação, foram os primeiros  a custos controlados entregues pela Câmara Municipal da Trofa às famílias mais carenciadas do concelho. Mais de 124 famílias da Trofa, entraram numa nova etapa, agora foi a vez de mais duas famílias, havendo ainda mais seis casas por entregar.