exposio-bordados 

Toalhas, tabuleiros para servir chá, quadros e lenços dos namorados são apenas alguns dos artigos que nasceram do trabalho e dedicação de um grupo de mulheres que, semanalmente, passam algumas horas a bordar, no âmbito de uma actividade ocupacional promovida pela Junta de Freguesia de S. Romão do Coronado. Os trabalhos elaborados estão agora à vista de todos os romanenses e trofenses no edifício da Junta, numa exposição inaugurada no passado sábado, onde se pode apreciar peças de bordado livre, bordado Richelieu, bordado tradicional, tapeçaria e arraiolos.

Todas as semanas Amélia Silva dirige-se de Folgosa da Maia a S. Romão do Coronado para ensinar a arte de bordar às 13 formandas, actividade que realiza com “muita paixão”. Tendo sido formadora profissional na área têxtil, Amélia Silva dedica-se agora à formação nas actividades ocupacionais em três freguesias. Sendo os bordados o tipo de trabalho que mais gosta, Amélia vê nas suas formandas um talento inato para essa arte. “Há pessoas que já em pequeninas bordavam e como sempre esteve lá dentro o bichinho depois abriu-se e elas fazem-no porque gostam, porque só fazem para elas. Algumas já estão aqui há seis anos e quando se faz estas exposições elas ficam radiantes, como eu também muito vaidosa”, afirmou ao NT.

Para Amélia Silva “os conhecimentos não se devem guardar nos baús”, nem tão pouco a arte de bordar “deve morrer”. “Ainda bem que há escolas, estas exposições e estes tempos ocupacionais de formação têxtil”, considerou.

A sexta exposição de bordados enche também de orgulho o presidente da Junta de Freguesia, Guilherme Ramos, que na inauguração salientou a importância desta iniciativa. “Para além de ser muito bonito, é muito agradável ver que as pessoas gostam, se ocupam, aprendem, estão cada vez mais valorizadas e ficam trabalhos para que no futuro todos os que ficarem possam ver e apreciar aquilo que vai sendo feito ao longo dos anos”, realçou. O edil romanense adiantou ainda que esta formação dos bordados é uma daquelas pelas quais se entusiasmou desde o início. “Desde o momento em que conseguimos melhorar as instalações na Junta de Freguesia, apostei nessa iniciativa, sabia que havia gente interessada e a única dificuldade era poder satisfazer todas as pessoas que gostam deste tipo de trabalhos”, referiu. Guilherme Ramos garante que irá “tentar alargar esta actividade, quando houver mais espaço”, algo que “não será muito longínquo”, segundo o autarca.

A sexta exposição de bordados pode ser visitada até 13 de Setembro, entre as 15 e as 22 horas, na sede da Junta de Freguesia.