Ser voluntário é considerada uma opção de vida para uns, ou mesmo uma questão de cidadania para outros, mas no final o que importa para estas pessoas é mesmo o sorriso dos doentes depois de um gesto carinhoso. Este e outros temas estiveram em debate, sábado, em Santo Tirso, no 1º Encontro Nacional de Voluntariado em Saúde em que marcou presença a presidente da Câmara Municipal da Trofa, Joana Lima.

Ajudar o próximo é o lema de muitos voluntários que pelo país fora prestam apoio aos que mais precisam e apenas com uma palavra amiga arrancam sorrisos a quem muitas vezes já não tem vontade para viver.

O trabalho desenvolvido pelos voluntários esteve em debate, em Santo Tirso, no Auditório Eurico de Melo, no 1º Encontro Nacional de Voluntariado em Saúde, promovido pela Federação Nacional de Voluntariado em Saúde, em parceria com a Liga dos Amigos do Hospital de Santo Tirso.

voluntariado-1

“Pretendemos dar a conhecer as nossas experiências, os nossos conhecimentos, as nossas vivências a todo o grupo de voluntariado e também receber os outros hospitais para que possam partilhar as experiências deles e para que possamos tornar mais rica a nossa acção”, explicou Fernando Marques, Presidente da Liga dos Amigos do Hospital de Santo Tirso.

A Liga dos Amigos do Hospital de Santo Tirso, que presta serviços na Trofa, Famalicão e em Santo Tirso há 24 anos, tem cerca de 60 voluntários e cada vez aparecem mais pessoas interessadas nesta ajuda ao próximo.

“Cada vez mais há gente mais jovem, as pessoas pensam que os voluntários são pessoas mais velhas, isso é uma ideia que já passou, cada vez mais temos gente jovem e cada vez mais as pessoas querem fazer voluntariado nos hospitais”, adiantou.

E fazer voluntariado não significa pensar em si, mas sim nos outros. “Os voluntários deviam de ir para este tipo de actividade percebendo aquilo que o que se quer é que as pessoas dêem o pouco que eventualmente têm e venham para cá não como terapia ocupacional, mas para dar alguma coisa de si”, explicou Fernando Marques.

A Liga dos Amigos do Hospital de Santo Tirso incide o seu trabalho sobre três áreas de voluntariado: “o voluntariado de urgência, aquele que faz inter-relação com a família, o voluntariado a nível de serviços de internamento, no qual se vão visitar as pessoas, com uma palavra amiga e ainda a área “Vencer é Viver”, que é a área do voluntariado junto dos doentes oncológicos”.

Este primeiro encontro foi também palco da primeira cerimónia pública na qual Joana Lima participou como Presidente da Câmara Municipal da Trofa. A autarca trofense elogiou o trabalho desenvolvido pelos voluntários, que “ajudam a passar os momentos mais difíceis que os doentes vivem no hospital”. “O voluntariado é uma actividade, altruísta, muito nobre, muito humana e deixo os meus sinceros parabéns a todas as pessoas que prestam este tipo de ajuda nos hospitais, nas Santas Casas, até nas IPSS”, acrescentou.

Ao longo do dia foram debatidos temas como a visão futura do voluntariado, os aspectos éticos da dignidade humana, a partilha de experiências e vivências sobre o voluntariado. E para terminar subiu ao palco o Grupo Coral da Misericórdia de Santo Tirso.