A primeira etapa da maior prova de ciclismo nacional vai arrancar da Trofa. Ciclista trofense faz parte dos atletas que a 5 de agosto começam a pedalar pelo país.

Ainda não se sabem muitos pormenores sobre o percurso da 73ª Volta a Portugal em bicicleta deste ano, mas os locais de partida e de chegada das dez etapas já foram definidos e a Trofa vai servir de ponto de partida para a primeira. A 5 de agosto, na Trofa, o desporto-rei vai mesmo ser o ciclismo.

Esta é uma modalidade com muitos adeptos e alguns praticantes no concelho.

Para além de receber a Volta, a Trofa vai percorrer todo o país, graças à participação de Daniel Silva. O ciclista trofense da equipa Onda Boavista, vai participar na prova e não escondeu que ficou “muito surpreendido”: “Um amigo ligou-me a dar a notícia e pensei que ele estava a brincar comigo”. Mas o jovem desportista reconhece que “é muito bom que a Trofa receba a caravana da Volta e toda a festa que ela envolve, como o programa ‘Verão Total’ da RTP, que vai ‘pôr a Trofa’ em direto durante toda a manhã”. “Será uma excelente oportunidade de divulgação do município”, acrescentou.

Partir da terra que o viu nascer pode ser uma importante mais-valia: “Se já tinha muitos amigos que me apoiam na Senhora da Graça, na Senhora da Assunção e na Serra da Estrela, agora com a partida da Trofa serão muitos mais, porque alguns não têm a possibilidade de se deslocar a esses locais e com a Volta a passar ‘à porta de casa’ vão ter essa oportunidade”. “Só espero conseguir retribuir e agradecer esse apoio com um bom resultado na prova”, afirmou.

Este intento poderá não ser fácil de alcançar já que Daniel Silva foi atropelado durante um treino no início de junho. O jovem fraturou “o cotovelo em quatro sítios” e foi obrigado a uma intervenção cirúrgica. “Neste momento toda a minha preparação para a Volta está na estaca zero. Comecei a fisioterapia esta semana e, depois de ser novamente avaliado pelo médico, espero voltar a treinar no início de julho, o que significa que terei apenas um mês para me preparar para a Volta, o que é muito pouco tempo. Assim, dificilmente, chegarei ao meu pico de forma e às melhores condições para disputar a Volta. Esta situação está a deixar-me preocupado e triste”, lamentou.

Ainda assim, Daniel Silva antevê que esta “será uma Volta direcionada aos trepadores, pois haverá cinco chegadas em altitude”. “Agora falta saber o que irá anteceder essas mesmas chegadas. É muito importante saber que montanhas iremos ter antes da Senhora da Graça e da Torre-Serra da Estrela. Certamente que irá ser uma Volta muito dura, com muitas montanhas”, ressalvou. O atleta acredita que “a camisola amarela poderá mudar várias vezes de portador, tornando a Volta numa corrida aberta e imprevisível, logo, mais cativante para o telespectador”.

Depois do Prólogo, em Fafe, a 4 de agosto, e da 1ª etapa que vai ligar a Trofa a Oliveira do Bairro, a Volta segue para Oliveira de Azeméis-Senhora da Assunção, a 6 de agosto. No dia seguinte a 3ª etapa decorre entre Viana do Castelo e a Senhora da Graça. A 8 de agosto, a 4ª etapa vai ligar Lamego a Gouveia. A 5ª etapa, no dia 9 de agosto, vai ligar Oliveira do Hospital a Viseu. Depois de um dia de descanso, a Volta regressa a 11 de agosto, com a 6ª etapa, entre Aveiro e Castelo Branco. A 7ª etapa tem lugar entre o Sabugal e a Guarda (CRI). A etapa seguinte é entre Seia e a Torre. A penúltima etapa da prova vai decorrer entre Covilhã e Sertã. A Volta a Portugal em bicicleta termina a 15 de agosto, com a etapa entre Sintra e Lisboa.

{fcomment}