Mais de 2500 euros de prejuízo. Produtos hortícolas de uma estufa em Bairros foram contaminados por águas residuais da rede de saneamento. Em apenas quatro meses esta é a já a segunda vez que as águas invadem terrenos agrícolas.

“Sinto-me lesado.” Este é o estado de espírito de Manuel Pinheiro, proprietário da estufa, que viu todas as suas produções agrícolas, quase submersas pelas águas residuais. Em outubro do ano passado, o proprietário detetou o rebentamento da conduta de saneamento, junto à Azenha de Bairros, tendo salvado todos os seus produtos. Porém, desta vez, não teve a mesma sorte.

Eram cerca das 14.30 horas, de domingo, quando Manuel Pinheiro viu o estado em que se encontravam as suas estufas. Como na última vez, foi um vizinho que se apercebeu da situação, devido aos maus odores e alertou o produtor. Mal chegou ao seu terreno tratou de fazer “uns rasgos na terra”, para as desviar, impedindo que os “campos ficassem cobertos de água”. O proprietário afirmou existir, ainda, mais outra caixa de saneamento a verter em direção às outras estufas.

O prejuízo rondará os cerca de 2500 euros. “São três estufas que estão cheias de água choca. Isto é mesmo só químicos e, por essa razão, terei que deitar tudo fora”, lamentou. Como se isso não fosse suficiente, o produtor tem já encomendados 3500 pés de tomates para plantar e não sabe se o poderá fazer, pois tem que aguardar que o solo esteja em condições.

Na última vez que esta situação aconteceu, em outubro, Manuel Pinheiro contactou um engenheiro que o aconselhou “a trocar as estufas de sítio”. O que traria mais encargos, pois para isso são precisos cerca de 25 mil euros. Para além de prejudicar constantemente as plantações ali existentes, o produtor garante estar a poluir o rio Ave. Uma situação que o deixa indignado, pois até agora nada foi feito, nem os responsáveis se dignam a aparecer. “Eu queria este problema resolvido, este é o meu ganha pão e tenho isto aqui tudo parado. Com esta água choca morre tudo e depois a terra fica ensopada”, asseverou.

Quando confrontados com o rebentamento da conduta de saneamento, contactamos a empresa Águas de Noroeste, empresa responsável pelo coletor de saneamento. O NT tentou obter esclarecimentos junto das Águas do Noroeste, mas não obteve resposta até ao fecho da edição. No entanto, na manhã desta quarta-feira, três elementos da empresa estiveram a desobstruir o coletor das águas residuais.

{fcomment}