Assembleia de Guidões realizou a 11 de novembro uma sessão extraordinária para discutir a fusão da freguesia. “Viva Guidões” foi a expressão mais ouvida nesta assembleia.

A Escola do Viso foi o local escolhido pela Assembleia de Guidões para uma sessão extraordinária, que decorreu no dia 11 de novembro e que teve como ponto único a discussão da reforma administrativa.

Nesta assembleia foram apresentadas duas moções, uma pela CDU e outra pelo PS, aprovadas por unanimidade. O Partido Comunista Português (PCP)defende que esta reforma administrativa não vai ser significativa para os cofres do Estado. “A extinção de autarquias, nomeadamente a de Guidões, em nada contribuirá para reduzir a despesa pública e, não só acarretará novos e maiores gastos, como conduzirá a um pior serviço às populações e constituirá um fator de empobrecimento da vida democrática local”, asseverou Atanagildo Lobo.

Já a moção apresentada pelo Partido Socialista (PS) defende que esta reforma autárquica deve ser baseada não nos números, mas nas necessidades das populações. “As freguesias são o serviço público mais próximo dos cidadãos e são, de facto, os órgãos de poder autárquico mais próximos e que mais sentem as dificuldades dos cidadãos. Assim pensamos que a reforma administrativa deve ser feita de acordo com as necessidades de cada comunidade e não tendo em conta o número de eleitores ou a dimensão da freguesia. O que é necessário é que as freguesias sejam dotadas de competências e recursos próprios, para exercer um melhor poder local, sem perderem a identidade da terra que representam”, afirmou Silvino Silva.

Nesta sessão extraordinária, a CDU apresentou uma proposta à mesa da assembleia para que Guidões integre o movimento “Freguesias Sempre”. 

Saiba mais na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa! Adquira o seu exemplar num quiosque perto de si ou faça já uma assinatura anual, em formato papel ou pdf! 

{fcomment}